Agora são: .Horas e .Minutos - Bem vindo ao Blog Co Dependentes Emocionais **Deus Te abençõe e Te Guarde **

domingo, 14 de abril de 2013

Sobre análise comportamental:

Sobre análise comportamental:


Todo dia realizamos vários tipos de análises: clínicas, quando cedemos uma parte de nosso sangue para ser avaliado em um laboratório médico; morfológicas, quando determinamos o processo de formação das palavras mediante a classificação dos seus elementos mórficos para conhecermos como elas surgem; sintáticas, quando os professores de português dividem um período em orações para classificá-las em seus elementos constituintes; léxicas, quando determinamos a classe gramatical de uma palavra e combinatórias, quando examinamos o número de disposições possíveis dos membros de uma conjunto em seus subconjuntos, por exemplo, quando a FIFA sorteia os subgrupos das seleções que irão competir na Copa do Mundo.
E a análise do comportamento, quando realizamos? Alguns poderiam dizer que sempre estamos analisando o comportamento das pessoas: dos nossos colegas de turma, da nossa família, de nossa namorada e do ator do filme. De certa forma uma análise é feita, mas assim como na Gramática existe vários tipos de análises (morfológica, léxica e sintática) também podemos dizer que vários tipos de análises do comportamento podem ser feitas. Depende da área do conhecimento que utilizamos como base para realizar esta análise.
Uma ciência é um conjunto de declarações verbais sobre o mundo sob o controle de contingências bem discriminadas, que constituem assim um método, uma forma específica de falar sobre o mundo. Uma ciência natural é um discurso sobre o mundo que descreve relações entre eventos naturais. Um evento natural é um fenômeno que tem dimensões temporais e/ou espaciais discerníveis pelos órgãos sensoriais de um ser humano comum; distingue-se de eventos supranaturais ou imateriais, que não manifestam essas dimensões (...) a característica básica necessária e suficiente para uma ciência natural é que as relações que ela declara ocorram entre eventos naturais e que essa declaração inclua a descrição dos meios também necessariamente naturais através dos quais essas relações possam ser estabelecidas. STARLING, Roosevelt Riston.(citação) Breves considerações sobre Ciência, teoria e fenômenos: falamos porque é verdade, é verdade porque falamos ou simplesmente falamos? Boletim informativo da Associação Brasileira de Psicoterapia e Medicina Comportamental, 2001.
Quem analisa o comportamento? Todas as pessoas, corriqueiramente, fazem algum tipo de análise do comportamento, mas uma análise científica defere muito de uma análise corriqueira. Os Analistas do Comportamento são aquelas pessoas – pesquisadores ou profissionais – que analisam o comportamento de forma científica. No Brasil eles são majoritariamente registrados em conselhos profissionais de Psicologia ou cursam graduações e pós-graduações de Psicologia e trabalham em clínicas, escolas, postos de saúde, indústrias empresas, ONGs, hospitais, sindicatos, cooperativas, associações de moradores, fundações, universidades, centros de pesquisa e faculdades. (Grandes profissionais Psicoterapeutas e amigas: Valéria Rocha e Silvana Cardoso, sempre aprendo muito com vocês duas,meus eternos agradecimentos pelas partilhas).
Como os Analistas do Comportamento realizam seus estudos? Inicialmente ele colhe os dados de pesquisa utilizando experimentos, quase-experimentos, observações, entrevistas ou pesquisas de campo e após a coleta dos mesmos fazem a análise funcional. A análise funcional é o reconhecimento da múltipla e complexa rede de determinações de instâncias de comportamento, representada pela ação em diferentes níveis (filogênese, ontogênese e cultura) das conseqüências do comportamento sobre a probabilidade de respostas futuras da mesma classe [de comportamentos] A análise deve agora se voltar para as “funções” das respostas e para os modos através dos quais as mudanças por elas produzidas afetam a probabilidade de comportamento futuro. Introduções a áreas diversas, a campos de atuação e até mesmo atividades que merecem ser sempre analisadas em empresas corporativas. Visando assim o melhor ambiente social de atendimento e qualidade ao empregado, como também adequando a empresa a novas visões humanitárias de respeito a condição psicológica de cada individuo.
A análise funcional requerida passa a ser aquela que identifica relações de tríplice contingência responsáveis pela aquisição e manutenção de repertórios comportamentais. Contingências são componentes das relações comportamentais que apresentam relação de dependência entre si, filogênese é a evolução ou desenvolvimento da história de uma espécie, ontogênese é o desenvolvimento ou curso da história de aprendizagem de um organismo e cultura é o conjunto de comportamentos que são ou não reforçados e/ou punidos por um grupo de pessoas em um ambiente comum.
Os Analistas do Comportamento também realizam o que chamam de revisão e análise conceitual quando os métodos de pesquisa ou trabalho acima são complexos ou quando procuram aplicar os resultados dos seus estudos no seu cotidiano de trabalho. Revisão conceitual é a recomendação de propostas de mudança de conceitos que já existem já a análise conceitual é a proposição de novos conceitos.
A Análise Experimental do Comportamento é a parte da Análise do Comportamento que fica responsável por estudar as formas de coleta, mensuração e análise dos dados advindos das pesquisas que se utilizam da análise funcional e de conceitos revistos e analisados.
Mas por que alguém analisaria o comportamento de forma científica? A justificação da existência da Análise do Comportamento perpassa necessariamente pela necessidade dos cientistas e profissionais resolverem problemas práticos do cotidiano.
É importante para o bem-estar e, muitas vezes, para a própria sobrevivência de organismos, espécies e culturas obter soluções aceitáveis para eventuais problemas práticos, sejam eles de natureza física ou social. Membros individuais especialmente felizes e constantes em obter tais soluções foram chamados de sábios em outras épocas e, na nossa, costumam ser chamados de cientistas. Modos de organizar o mundo através de declarações verbais sobre os fenômenos e/ou práticas de intervenção direta nos fenômenos que regularmente obtêm tais soluções são chamados de sabedoria ou ciência. Exatamente que tipo de situação seria considerada um “problema prático” para as diversas comunidades humanas é também algo que se subordina a lugar e tempo.[9]
Assim os Analistas do Comportamento são as pessoas que aplicam os conhecimentos advindos do Behaviorismo Radical e da Análise Experimental do Comportamento para solucionar problemas comportamentais humanos onde quer que eles existam.
Onde o comportamento existe?
Não há nada mais familiar do que o comportamento humano. Estamos sempre na presença de ao menos uma pessoa que se comporta [mesmo que seja nós mesmos]. Nem há algo mais importante que o comportamento, quer seja o nosso, quer o de outrem, quer seja ao que vemos todo dia, quer seja ao que vemos todos os dias, quer seja ao que seja responsável pelo que acontece no mundo de um modo geral.
Entende-se que analisar comportamentos envolve a séria responsabilidade de não se julgar, critérios relativos a gostos e preferências pessoais. A analise comportamental tem que estar longe daquilo que acho correto ao meu *eu*, ou seja, verificar no outro apenas características a serem modificadas, sem que isso seja voltado as nossas preferências pessoais.
By Rô Carvalho (estudo da pagina 46, fonte: *********** srrsrrs) Resumo, relatórios a serem anexados, sobre analise comportamental.
OBS: Para que eu não esqueça.Para que eu não esqueça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares