Agora são: .Horas e .Minutos - Bem vindo ao Blog Co Dependentes Emocionais **Deus Te abençõe e Te Guarde **

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Como escolher um psiquiatra?


Como escolher um psiquiatra?

Isso não é fácil e não pretendemos aqui fornecer uma fórmula mágica, mas algumas dicas podem te ajudar bastante.
O psiquiatra ideal

Deve estar pessoalmente interessado na resolução do seu problema.
Tem que ter bons conhecimentos técnicos e estar atualizado.
Atender calmamente como pelo menos 30 minutos na primeira consulta.
Olhar nos olhos do seu paciente.
Estar informado a respeito das condições clínicas e pessoais de seus pacientes asssim como dos acontedimentos relevantes como condições familiares, financeiras, ideais de vida, relações afetivas, problemas das pessoas próximas como uso de drogas na familia.
Ser gentil e educado.
Não atrasar o horário de atendimento.
Preço da consulta entre R$ 100,00 e R$ 200,00. (grandes centros urbanos)
Ser acessível por telefone fora dos horários de atendimento, sem contudo permitir abusos por parte dos pacientes pois isso seria ruim para eles mesmos.

Não é nenhum absurdo exigir tudo isso de seu psiquiatra, mas se não for possível, pelo menos as 5 primeiras não devem faltar.
Como encontrar um psiquiatra assim?

Os principais meios de se chegar a um psiquiatra são:

Através de outro médico.
Através de um psicólogo.
Através do plano de saúde.
Através de um conhecido/parente
Através de propagandas em jornais, internet, listas telefônicas

Esses meios de se encontrar um psiquiatra são confiáveis?

São equivalentes, geralmente existe uma tranquilidade maior quando o psiquiatra é recomendado por alguém de confiança, principalmente um outro profissional, mas isso não necessariamente garante a competência do psiquiatra indicado. Há vários motivos que levam a uma indicação,

Os indicativos abaixo identificam um bom psiquiatra?

Consultório cheio / difícil de marcar hora.
Tílulos como professor universitário, diretor de hospital, presidente de associações, etc.
Badalado nos meios de comunicação.
Trabalhar em Hospitais.

Nenhuma dessas condições garante a competência como psiquiatra para tratar do seu caso, pode aferir competência como diretor, proferssor ou presidente, mas também não é nenhum demérito ter esses títulos. O consultório cheio para um profissional com décadas de carreira mostra que ele se dedica a isso, se não for uma pessoa famosa certamente o retorno é feito através dos próprios paciente que estão retornando o que é bom sinal. Se o consultório está cheio porque ele é badalado nos meios de comunicação então nada se pode afirmar uma vez que a população brasileira acredita que tudo que aparece nos jormais ou TV é verdade. Trabalhar em hospítais é sempre um ponto positivo, mas não trabalhar não é ponto negativo.

Fonte: Psicosite.

Aviso Importante:
Este Blog Está de acordo com a Lei 9.610 dos direitos autorais na internet.
Para ver a postagem original clique na fonte

Obrigada pela visita e volte sempre.

Rô Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares