Agora são: .Horas e .Minutos - Bem vindo ao Blog Co Dependentes Emocionais **Deus Te abençõe e Te Guarde **

sábado, 28 de maio de 2011

Dificuldades de erecção e diabetes

Sou diabético tenho desejo de fazer sexo mas não tenho ereção, já comsultei um urologista que me aconselhou a fazer a por uma protse, acha que iria resultar, fico grato pela vossa resposta.

Bom Dia José,

Agradecemos o envio do seu mail.

As próteses penianas são de facto o último recurso terapêutico para a disfunção eréctil. Mas é claro que antes de recorrer a essa opção existem outras que antecedem esse processo, as quais poderá ler neste link (http://sexologia.clix.pt/?p=12122). A colocação de uma prótese é irreversível e por isso é necessária uma boa preparação para esta decisão.

No entanto apesar da sua irreversibilidade, o grau de satisfação do utente é muito elevado. As próteses mais aconselhadas são as hidráulicas por um maior número de vantagens no seu manuseamento, mas não nos podemos esquecer de desvantagens que qualquer prótese pode acarretar, tais como a rejeição da mesma e infecções associadas.

Esta decisão deve ser sempre pensada em conjunto com a sua parceira, para que os dois sintam que este passo é importante para ambos. No entanto voltamos a relembrar, que é necessário fazer um levantamento minucioso da sua história clínica, para que seja possível perceber até que ponto tolera ou não medicação própria para esta disfunção. Ou seja, deve procurar intervir nas outras linhas de acção e só depois pensar na possibilidade de uma prótese peniana.

Fale com o seu urologista, sobre este assunto, e deverá confiar no seu diagnóstico, pois este tipo de decisões são tomadas em conjunto com o seu médico, o qual é o único que conhece a sua condição clínica.

Obesidade

A obesidade afecta já cerca de metade da população portuguesa. Os comportamentos de risco e o número de obesos estão a aumentar em Portugal, assim como o número de jovens que sofrem desta patalogia. O excesso de gordura corporal aumenta os riscos para tensão arterial elevada, doenças do coração, enfarte, diabetes, alguns tipos de cancro e outras doenças.
O índice de obesidade entre a população americana é de 18%. Entre os vegetarianos é de 6%, e nos veganos é de apenas 2%. Na realidade verifica-se que o peso médio dos veganos (adultos), comparando com os omnívoros, é inferior em 5 a 10 kg.
Os actuais hábitos alimentares com excesso de gorduras, carnes e sem nenhuma fibra, são responsáveis pelo elevado índice de obesidade.

A maioria dos ocidentais não come a quantidade necessária cereais, fruta e vegetais. O índice de crianças americanas que consomem os números recomendados de frutas, vegetais e grãos, é de apenas 1%. No entanto, o índice de crianças vegetarianas americanas que consumem os números recomendados de frutas, vegetais e grãos é de 50%. Quanto à percentagem de crianças com excesso de peso é de 25 %, enquanto que a mesma grandeza em crianças vegetarianas é de 8 %.

Para além da obesidade ser uma doença crónica, ameaçando tornar-se uma epidemia global, o número de jovens afectados por esta patologia está a aumentar. A obesidade está a crescer mundialmente, ao mesmo tempo que se verifica um aumento significativo do excesso de massa gorda nos jovens. Isto vai tendo repercussões no desenvolvimento das doenças cardiovasculares. Uma redução moderada de peso entre 5 a 10 por cento é um resultado excelente, já que diminui significativamente estes riscos e melhora a qualidade de vida dos doentes.
O exercício físico e uma alimentação equilibrada são fundamentais. Este tipo de prevenção revela grandes benefícios, não só pela redução do peso, como pelos efeitos do exercício físico no controlo tensional, na alteração dos lípidos, na recuperação funcional e no bem estar e qualidade de vida.
Uma quantidade adequada de proteínas, vitaminas e minerais, bem como outros nutrientes essenciais, são obtidos com o consumo de muitas variedades de alimentos que o reino vegetal oferece. Deve comer-se com moderação, escolhendo os alimentos que proporcionem o equilíbrio e a variedade e reduzindo o consumo de sal, gordura e açúcar. Por exemplo, a gordura num pacotinho individual de manteiga servido nos restaurantes é de 6 gramas. Por outro lado, um hambúrger apresenta 40 gramas de gordura. No entanto, a gordura encontrada num hambúrguer vegano (à venda em lojas de alimentação natural) é de apenas 3 gramas.

Os comportamentos alimentares em Portugal assumem, actualmente, um balanço muito desfavorável: por um lado, aumenta a intenção de emagrecer, por outro, os casos de obesidade sobem drasticamente e afectam já cerca de metade da população.

Por um lado, as dietas com intenção de emagrecer se traduzem em graves deficiências imunitárias, má formação óssea, envelhecimento precoce, destruição muscular e irregularidades menstruais. Por outro lado, entre as associações patológicas da obesidade destacam-se a hipertensão e a diabetes, uma doença cada vez mais frequente nas sociedades ocidentais.

O risco de diabetes em pessoas obesas é 40 vezes maior. Foi, aliás, esta preocupação em sublinhar a correlação entre a obesidade e o aparecimento de diabetes que levou os especialistas a criarem um novo conceito: a diabesidade. É uma nova forma de ver o problema, com base na associação intrínseca que existe entre as duas patologias, e que pode abrir perspectivas muito grandes na terapêutica unitária e na prevenção uniforme.

As consequências da obesidade podem ainda ser graves no que diz respeito a associações patológicas, morbilidade, mortalidade e custos com a saúde, que ascendem a vários milhões de contos por ano. Por exemplo, nos E.U.A a despesa médica anual directamente atribuída ao cigarro é de 65 biliões de dólares. Enquanto que a despesa médica anual directamente atribuída ao consumo de carne se situa entre os 60 e os 120 bilhões de dólares.

Em pessoas obesas, o risco de doenças cardiovasculares é 2 a 3 vezes maior. O risco de pedra nos rins é 2 a 3 vezes maior e o risco de cancro do cólon é 3 a 4 vezes maior.

De acordo com uma equipa de investigação dirigida por Christopher G. Streets, do Princess Margaret Hospital, em Swindon (Reino Unido), as pessoas obesas podem também ser mais propensas à indigestão. De acordo com os autores deste estudo, a obesidade pode ser a causa do funcionamento anormal do esfíncter esofágico inferior, membrana que separa o estômago do esófago. Os cientistas encontraram uma correlação entre o índice de massa corporal e a ocorrência de refluxo gastroesofágico. Segundo as conclusões do estudo, o excesso de tecido adiposo na região abdominal superior poderá ser responsável pela incapacidade do esfíncter funcionar adequadamente.
No problema da obesidade destacam-se ainda o papel da genética e dos estilos de vida. Prevenir a obesidade passa pela educação, pelo exercício físico e por uma cultura alimentar.


Referências:
http://saude.sapo.pt/gc/292459.html
http://www.mni.pt/destaques/?cod=1467
John Robbins, The food revolution

Piada - O Bêbado No Velório!

O bêbado entra em um velório, cantando Parabéns:

-Parabéns pra você, nesta data queridaaa!

Mas logo é reprendido na entrada da casa:

-Moço, que isso? Isso não é aniversario, isso aqui é um velório!

-Por isso que desconfiei! Nunca tinha visto um bolo tao grande!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

10 Dicas para se emagrecer com saúde!



1.Não coma rápido! Preste atenção no tempo que você leva para realizar cada refeição. O correto é demorar pelo menos 15 minutos para fazer cada refeição. Mastigue bem antes de engolir.
2.Não fique mais que 4 horas sem comer! Não adianta nada você ficar horas e horas sem se alimentar para depois comer um monte de uma vez. Alimentação balanceada é o caminho!
3.Não fuja da balança! Pese pelo menos de 15 em 15 dias para saber como está seu peso. Fugir do problema não irá fazer você emagrecer.
4.Mercado só depois da refeição! Ir ao mercado ou padaria antes de almoçar ou tomar café é pedir para comprar e comer mais do que precisa. Essa dica além de ajudar na sua dieta ajuda também no seu bolso
5.Comer sozinha jamais! Se alimentar sozinho ou mesmo em lugares muito barulhentos é uma má pedida.
6.Estabeleça horários! Suas refeições devem ter horário pré-estabelecidos. Não pule nenhuma delas e muito menos coma no intervalo entre uma e outra.
7.Pare e pense! Reflita sobre os reais motivos que fazem você comer em excesso e/ou fora de hora.
8.No mercado, evite caixas rápidos! Todo caixa geralmente tem suas gôndulas com guloseimas e afins, porém são nos caixas rápido que mora o maior perigo… geralmente são dezenas de gôndolas cheia de alimentos que você deve passar longe.
9.Receitas, receitas e mais receitas! Pesquisa na internet, pegue com o vizinho, no jornal.. mas nunca deixe faltar em sua casa muitas receitas de refeições saudáveis.
10.Pizzaria pode! Só não exagere nas pizzas de calabresa, bacon, catupiry e afins. Prefira as mais “verdes”: escarola, brocolis, vegetariana, etc.

Maquiagem para quem usa óculos



Dicas de maquiagem para quem usa óculos realçar o olhar e ficar sempre bonita.
As mulheres que usam óculos acabam ficando em dúvida sobre como conciliar a maquiagem com o acessório. Muitas acreditam que as armações escondem o rosto e a maquiagem é dispensável, o que não é verdade. Quem usa óculos pode e deve se maquiar, realçando principalmente a beleza dos olhos.

Antes de tudo, é preciso ter em mente que a maquiagem para quem usa óculos deve ser algo leve, isso porque os óculos já chamam atenção por si. Os óculos com armações mais simples permitem uma maquiagem um pouco mais ousada, mas mesmo assim, é melhor ter certa cautela para não ficar com o visual carregado.

E por falar nas armações, elas influenciam na hora de escolher a cor ideal da sombra. Para conseguir harmonia no visual, a regra é quanto mais colorida e mais grossa a armação, menos maquiagem deve se usar. O modelo e a cor também são super importantes na hora de escolher as cores tanto das sombras, como do blush e do batom. Os óculos com armações extravagantes combinam com maquiagem suave.

Usar delineador ou lápis também ajuda a realçar o olhar, mas nada muito pesado. Prefira as máscaras que dão volume aos cílios, evite as de efeito alongador e podem borrar a lente. Aposte também na base e no blush, que são ótimos aliados na hora de camuflar as imperfeições da pele. Nos lábios, compense com batons em cores neutras se tiver pesado um pouco mais nos olhos ou use cores mais fortes se os olhos estiverem com cores suaves.

Além da escolha das cores, outros fatores influenciam para que a combinação maquiagem e óculos fique perfeita. Os óculos deixam as sobrancelhas em evidência, portanto, devem estar sempre bem feitas e delineadas. A dica é tirar aqueles pelinhos extras e valorizar a região acima da armação com uma sombra clara.

Miopia
Se você tem miopia, a lente tende a deixar os olhos menores. Portanto, o ideal é usar uma maquiagem que dê a impressão de que são maiores. Aposte na maquiagem em cores claras. Vale também usar um tom escuro no canto externo dos olhos e aplicar um tom mais claro no centro. O contorno com lápis deve ser feito por fora.

Hipermetropia
No caso de quem precisa usar óculos por conta da hipermetropia, os olhos podem parecer maiores e distorcidos. A melhor forma de disfarçar este efeito é optar por cores escuras e sombras em tons pastéis. O lápis deve ser usado na linha da lágrima.

By RÔ:Pesquisas na net.

O desafio de se conviver com as diferenças



Conviver com as diferenças é um desafio inerente a todo ser - humano. Para se criar, crescer e aprender, todo indivíduo precisa que outra pessoa lhe ensine as práticas da vida como comer, andar, falar e etc. Nenhum ser humano é uma "ilha" para viver isolado do resto mundo, portanto conviver com outros seres humanos se faz necessário, surgindo então o desafio de se conviver com as diferenças, haja vista que não existe uma pessoa igual à outra, cada indivíduo é único no universo.

É certo que o desafio de conviver com as diferenças é uma tarefa árdua, mas precisa ser encarado como uma necessidade humana, pois ao respeitar o próximo, certamente abriremos espaços para que as nossas diferenças também sejam respeitadas, ao entender e compreender o outro abrimos uma porta para que a outra pessoa também tente nos entender e compreender.

É preciso que entendamos que cada pessoa tem o seu jeito, as suas particularidades o que a torna diferente das demais pessoas, portanto essa pessoa não é obrigada a ver a vida da mesma maneira que nós. O outro tem o direito de ver vida, e enxergar situações de uma maneira diferente da nossa.

As pessoas de sucesso que conseguem consolidar relacionamentos sólidos e duradouros são aquelas que têm facilidade para entender o outro como um ser diferente e que, portanto precisa ser aceito e respeitado. Quando aprendermos a entender o outro como um ser que tem gostos, experiências e sentimentos peculiares, que são diferentes, mais não menos nobres e importantes do que os nossos. Quando aprendermos a enxergar o outro como um ser diferente, mas especial, teremos então um mundo mais justo, igualitário e com menos violência, e conseqüentemente pessoas mais felizes.


By Rô ...Pesquisas da Net

Os 7 Pilares da Auto Estima!



Segredinho de Comadre!kkkk

Oi meninas!

Uma pergunta: como está a sua autoestima hoje?

Nem sempre estamos com a autoestima elevada não é mesmo?

Uma crítica no trabalho ou uma discussão com o parceiro às vezes podem abalar a nossa autoestima, e elevá-la pode ser uma tarefa muito difícil.

Hoje vou dividir com vocês essa reportagem que li na revista Claudia sobre os 7 pilares da autoestima. Espero que gostem!

1. Família:

Autoestima se aprende em casa. Se os pais (ou os adultos que cumprem essa função) nos amam, respeitam e acolhem nosso modo de ser em vez de nos criticar e desejar que sejamos diferentes, a tendência é crescermos com uma autoimagem positiva. Quando as necessidades básicas da criança – alimento, atenção, carinho, educação voltada para o convívio e a possibilidade de se expressar sem medo – não são atendidas, mais tarde podem surgir ansiedade, depressão, sentimentos de desvalia e dificuldade em manter relações. A autoestima fica destruída. Na vida adulta, dá para superar algumas feridas da infância e reconstruir o amor-próprio, mas isso exige empenho e terapia. A tendência é que as marcas do passado – e as ideias a respeito de si e do mundo – tornem-se ‘verdades’ para o resto da vida. De todo modo, com o tempo a família de origem deixa de ser a única referência. Amigos, professores, parceiros podem nos incentivar a reconhecer nosso potencial, reformulando velhas crenças. Questione- as sempre. E, se sente falta de alguma aptidão, por que não tentar aprendê-la? Cuidado com a autocrítica exagerada. Seja mais generosa, habitue-se a conversar consigo mesma. Assim, poderá aceitar- se mais em vez de se recriminar.

2. Autoconhecimento:

Só quem se conhece bem consegue construir uma autoestima elevada. Mas, afinal, o que é se conhecer bem? É investigar, com coragem, seus defeitos e, sem modéstia, suas qualidades, tornando-se sua melhor amiga. A partir daí, resta saber aceitar ou tentar minimizar o que não pode ser mudado. Sem uma noção clara de nosso potencial e limite, ficamos muito vulneráveis às opiniões negativas. Baqueamos diante de conflitos e situações que nos desqualificam. Quebre essa lógica descobrindo estratégias para potencializar os pontos fortes e neutralizar os fracos. Para mapeá-los, tente este exercício: Anote os comportamentos que a incomodam, verifique o que os provoca e busque formas de desativá-los. Por exemplo, se você se boicota adiando coisas importantes e quer mudar isso, verifique com que se distrai nesse momento e quais desculpas utiliza para os atrasos. Marque um prazo curto para realizar determinada tarefa – seja uma atividade do trabalho ou a visita ao dentista. O que importa é criar situações em que fique evidente se você conseguiu ou não atingir as metas determinadas. A cada pequena conquista, a satisfação cresce e a autopercepção aumenta. Aos poucos ganhará clareza sobre suas motivações íntimas, o que vai ajuda- lá a se libertar de comportamentos desfavoráveis e a adotar outros, mais alinhados com seus sonhos.

3. Inteligência:

Autoestima também é uma questão de sentir-se capaz. Você a exercita toda vez que diz: “Eu posso”. Faça mentalmente um inventário das suas boas ideias. Vale aquele relatório do trabalho que foi elogiado pelo chefe, a solução que você deu para um conflito familiar ou a capa nova que bolou para o sofá, pois a inteligência se manifesta nas grandes e nas pequenas coisas que fazemos. Sentir-se autônoma é prodigioso. Se eu acredito que consigo dar conta, avanço, me aventuro mais e inevitavelmente vou aprender novidades, inclusive sobre mim mesma, reforçando o circuito da confiança.

A inteligência tem a ver com a capacidade de encontrar saídas para problemas cotidianos. Uma forma de potencializar essa força é observar os efeitos que ela causa ao nosso redor. Acostumadas com os próprios talentos, nem sempre os valorizamos na medida certa. Mas de repente alguém que olha de fora ou que foi beneficiado por uma iniciativa nossa aponta como essa criatividade destravou alguma encrenca do dia a dia ou aliviou as tensões de uma equipe. A inteligência aplicada ao cotidiano é muito produtiva, dá um toque de leveza e otimismo e mantém você com os pés no chão – e isso é importante. Porque quem abusa da autoconfiança pode dar passos maiores do que as pernas ou cair na arrogância. Autoestima é fundamental, mas não pode ser confundida com narcisismo ou egoísmo. Gostar de si combina muito com gostar dos outros, trocar ideias em vez de tentar impor as suas, enfim, usar to dos os dons a favor do bem comum.

4. Beleza:

O segredo é aceitar quem você é, cuidar-se com carinho e ter um olhar generoso para seu corpo e sua história. Parece simples, mas para muitas mulheres a aparência é o ponto vulnerável da autoestima. O psicoterapeuta paulista Marco Antonio De Tommaso, que atende as agências de modelo Elite e L’Equipe, perguntou a 140 modelos que notas dariam, de 0 a 10, para seu rosto e corpo. A média foi 7,2 para o rosto e 6,3 para o corpo. “A esmagadora maioria, 92%, faria plástica se pudesse”, conta o psicólogo. Essa insatisfação, segundo ele, resulta de um padrão de beleza imposto por nossa cultura. Tommaso explica que a beleza pode ser definida de três modos: 1. ser bonita, que tem a ver com os traços do biótipo (formato dos olhos, espessura dos lábios, medidas proporcionais etc.), o que depende de genética e sorte; 2. estar bonita, que demanda produção (ginástica, alimentação, roupas, acessórios etc.), e isso exige nosso empenho; 3. sentir-se bonita, que está ligado à autoestima. Esta última é, segundo ele, a mais importante. “Às vezes, achamos uma pessoa linda, mas, conforme conversamos com ela, seu brilho desaparece. O contrário também acontece: aquela mulher que à primeira vista não chama a atenção vai nos cativando e se tornando extremamente atraente quando a conhecemos um pouco mais”, diz Tommaso. O segredo dela? Uma autoestima imbatível. Para conquistar isso, é preciso libertar-se dos padrões e desenvolver sua identidade estética. “Descubra aquilo que a torna única e aprenda a valorizar seus diferenciais”, aconselha o psicólogo.

5. Amigos:

Eles confirmam que somos companhias interessantes toda vez que nos chamam para sair. Pelos olhos e comentários dos amigos, lembramos que somos engraçadas, que nosso ombro é valioso… enfim, que somos importantes. O olhar carinhoso do outro é fundamental para a nossa autoimagem. Quem cultiva essa rede fraterna cria um ambiente propício às trocas afetivas, que fazem florescer o amor-próprio. Sem contar que uma amiga de verdade é um refúgio para as horas de dor, medo, tédio e tudo o que pode abalar nossa fé na vida ou em nós. A presença solidária dos amigos funciona como um sinal de que merecemos ser amados. Nem sempre nossos confidentes têm respostas para nossos dilemas. Mas o simples fato de oferecerem atenção produz fôlego novo. E essa via é de mão dupla. Pode notar: quando nos sentimos meio desanimadas, basta uma amiga pedir nossa opinião para nos recompormos e nos distanciarmos de nossos problemas. Isso é bom para as duas. Amigos trazem novas perspectivas, enriquecendo nossa visão do mundo. Ficamos mais interessantes por causa deles. Basta lembrar o cinema, as conversas, as risadas, as viagens e até as brigas que temos com eles. Então, pense duas vezes antes de se fechar em casa quando o ego estiver meio ferido. O recolhimento às vezes é necessário, mas não o isolamento. Partilhar as emoções é um modo de digerir o que nos acontece. E nada como bons amigos para nos consolar ou nos fazer rir dos próprios dramas.

6. Amor:

O afeto acende a nossa luz e nos oferece uma chance de evoluir. “Nos momentos em que estamos inundados de amor, tudo brilha. Melhoram a pele, o humor e o pique”, descreve a psicóloga Fátima Cardoso. Mas nem todos os relacionamentos cumprem esse papel. Quem nunca ouviu falar de amores demolidores, que só jogam a gente para baixo?

Um alerta: a principal característica de toda relação destrutiva é a tentativa de um dos amantes de transformar o outro no que ele quer. Atenção quando um namorado vive criticando suas iniciativas, seus amigos e seu jeito de ser. E, se é você que não vê nada de bom no outro, por que permanece ao lado dele? Se esse romance funciona como alimento ou ameaça, isso depende dos dois envolvidos, pois a relação é complementar. Ficar reclamando dos homens não resolve. A questão é: por que você escolheu esse parceiro e, se já descobriu que ele é uma fria, o que está fazendo aí? Tenha coragem de botar o dedo na ferida, pois a mulher com autoestima baixa costuma se sabotar sem perceber. Ela se contenta com menos. Quem se acha feia e pouco inteligente, por exemplo, poderá investir em relações complicadas só para provar que com ela nada dá certo. Uma terapia ajuda a desatar essa neura. Os amores construtivos surgem quando reconhecemos o nosso valor e também o do homem escolhido, admitindo as diferenças sem que isso desqualifique ninguém. Ao nos tornarmos boas companhias, aumentamos a chance de ser bem-amadas.

7. Reconhecimento:

Não dá para negar: uma lustrada no ego é fermento para a autoestima. Quando o que fazemos é valorizado pelos outros, isso nos fortalece. Vivemos em comunidade, e entender essa interdependência nos torna mais maduros. O reconhecimento promove um ciclo virtuoso. A gente pensa: ‘Faço benfeito, sou reconhecida. Vou tentar fazer melhor para ser reconhecida novamente’. Só não vale ficar dependente de elogios. Nossas ações devem ser aprovadas, antes de tudo, por nossa consciência. O reconhecimento que revigora é aquele que nos mantém conectadas ao que é importante também para nós, não só para os outros. Uma excelente vendedora pode se tornar uma gerente de vendas apenas razoável, pois nesse cargo terá outras responsabilidades e será cobrada por elas. É possível que até ganhe mais, mas vai desviar o foco do que gosta de fazer e acabará desmotivada. Caso haja um descompasso entre os seus esforços e os resultados obtidos, analise se você está no lugar certo. E se, mesmo recebendo elogios, seu ânimo cai, redobre a atenção. Pode ser um indício de que estamos nos desligando de nossa essência. Quando o coração apertar, escute-o. Mude rotas se necessário.Tente libertar-se de ideais de sucesso que não são seus e reconheça os próprios desejos. Admirar-se é tão importante quanto ser admirada.

Beijos, Rô!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Batalha Espiritual



Existem três níveis de batalha espiritual ou guerra espiritual:

- Nível 1: Batalha a nível de solo (pessoa a pessoa)
- Nível 2: Batalha a nível de instituição (organização/organização)
- Nível 3: Batalha a nível estratégico (tomada de cidades).

A batalha a nível solo é para curar o nosso povo e fechar as brechas.

2 – Os dois reinos
O homem entregou o direito legal dado por Deus sobre a terra, a satanás, quando pecou no Jardim do Édem, isto é, passou uma procuração em branco para que o adversário se tornasse posseiro, através do engano, daquilo que pertence a Deus e foi entregue nas mãos do homem. O pecado dá direito legal a este posseiro, satanás e seus demônios.

Mt 11.12 - “desde os dias de João Batista até agora o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele.”

I Co 15.24 - “Então virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver destruído todo o domínio, e toda autoridade e todo o poder.”

Mt 12.28 - “Se, porém, eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, certamente é chegado o reino de Deus sobre vós.”

O reino de Deus só é implantado quando o reino do inferno é subjugado.

3 – A missão de resgate do ser humano
Mas, desde a queda do homem, o nosso Deus planejou o seu resgate:

Gn 3.15 - “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”.

I Jo 3.8 - “ ... para isto se manifestou o Filho de Deus, para destruir as obras do diabo.”

Lc 19.10 - “Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido.”

A salvação do homem, ou o resgate do homem à sua condição inicial, passa obrigatoriamente pela destruição das obras do diabo.

Sem libertação não há salvação

A Luta é espiritual
Ef 6.12 - “Pois não temos que lutar contra a carne e o sangue, e, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os poderes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais da maldade nas regiões celestes.”

Lc 4.18 - “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista ao cegos, para pôr em liberdade os oprimidos.”

Cl 1.13-14 - “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu Amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados.”

Mt 16.18b - “...as portas do inferno não prevalecerão contra a igreja.”

Aquele que não se prepara é como o rei descrito por Jesus em Lucas

Lc 14.31-32 - “Ou qual é o rei que, indo para combater outro rei, não se assenta primeiro para calcular se com dez mil homens poderá enfrentar o que vem contra ele com vinte mil? Caso contrário, estando o outro ainda longe, envia-lhe uma embaixada, pedindo condições de paz.”

4 – A nossa batalha é nas regiões celestes
Precisamos conhecer os lugares desta batalha, e onde nos encontramos:
Paulo define que é nas regiões celeste que se desenvolve esta guerra.

Vejamos:

O lugar onde Deus está:
Ef 1.3 - “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo.”

O lugar onde Jesus, depois de ressuscitado está:
Ef 1.20 - “o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestes.”

O lugar daqueles que aceitaram a Jesus como salvador, é o lugar da igreja:
Ef 2.4-6 - “Mas Deus sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e, estando mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, - pela graça sois salvos, e, juntamente, com ele, nos ressuscitou e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus.”

O lugar dos principados e potestades do império das trevas:
Ef 3.10 - “para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais.”

O lugar da guerra:
Ef 6.12 - “Pois não temos que lutar contra a carne e o sangue, e, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os poderes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais da maldade nas regiões celestes.”

A chave é a oração:
Ef 6.18 - “com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos.”

Só há uma maneira para entrarmos nas regiões celeste para guerrearmos:

é a oração.

A oração é o combustível que move os anjos do Senhor. A oração move o braço de Deus em favor da pessoas pelas quais estamos intercedendo para serem salvas.

Exemplos bíblicos de guerra espiritual:
Daniel – Dn 10.1-3, 13
Jesus – Lc 4.1-2
Paulo – At 16.16-18 e 19.1-20

Os grandes avivamentos só acontecem como resultado das orações do povo de Deus.

5 – As nossas armas de guerra
a – Arma de defesa – O sangue de Jesus – Hb 9.18-22; Ex 12.23; I Jo 1.7
b – Arma de ataque – O nome de Jesus – Mc 16.17-18; Lc 10.19; Jo 14.14
c – Arma de apoio – Os anjos de Deus – Sl 34.7; Sl 91.11; Hb 1.13-14
d – Arma estratégica – Unção com óleo – Is 10.27; Mc 6.13; Tg 1.14
e – Armadura de Deus – Ef 6.13-17

Chave principal: “Fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.” Ef. 6.10
I – Capacete da salvação – Para proteger a mente, onde está o livre arbítrio.
II – Couraça da justiça – feita com o sangue de Jesus , que nos justifica e protege as nossas emoções.
III – Calçado com a preparação do Evangelho da Paz – Is 52.7
IV – Escudo da Fé – Sl 5.12; 7.10; 18.2; 18.30; 28.7; 84.11; 89.18; 91.4; 115.9
V – Espada do Espírito – Lc 4.1-13; Hb 4.12; Ap 1.16; Ap 19.15
VI – O cinto da verdade – Pv 6.16-19; Cl 3.9; Jo 8.44; Ef 4.25; Jo 8.44

Conclusão: Agora você está preparado para entrar em guerra que já tem um vencedor determinado: Jesus Cristo e você; e um perdedor definido: satanás e todo o seu inferno.

Fonte:Pastor Marcos Santos

Diga Adeus aos Homens Errados!



Fonte:Shaulla Figueira - O Globo Online
.RIO - O dia dos namorados passou e mais um ano você estava sozinha. Faz tempo que não tem um compromisso sério ou conhece um cara legal, daqueles que te enche de mimos, liga só para dizer boa noite ou assiste comédia romântica agarradinho só porque você gosta. Cansou dos cafajestes? Então que tal ler o livro "Mulheres certas que amam homens errados", da americana Kristina Grish? Em um relato pessoal, a escritora dá dicas, em 12 lições, de como se livrar desses seres abomináveis.

Kristina relata, em 173 páginas, a atração quase patológica que já teve por homens canalhas e desonestos que, aos seus olhos sempre pareceram irresistíveis e atraentes.

- Os malandros irresistíveis têm a capacidade de deixar as mulheres com a sensação de abandono sexual, com a necessidade de conquistar. Quase nunca deixamos de nos apaixonar por seu charme desonesto, caráter sem princípios e atenção mutável - afirma.

A autora conta que demorou anos para entender que um homem legal não precisa ser sinônimo de uma pessoa tediosa, desajeitada e emocionalmente covarde: ( Você sabe escolher o homem ideal? )

- Os homens errados são em sua maioria românticos que jamais vamos encontrar. Mas nem todos os românticos acreditam no amor, alguns apenas acreditam no romance.

Ela explica que para eles, o romance é simplesmente um meio de se divertir. Os homens errados fazem tudo isso para seu próprio ego. Daí surge o problema: para a maioria das mulheres, divertir-se é um meio de se apaixonar. ( Confira o depoimento de mulheres que gostavam de homens errados )

- Esses terríveis destruidores de coração alegam que realmente sentem cada elogio dado à uma mulher e que se apaixonam, claro, a seu próprio modo - destaca Kristina.

Entretanto, a paixão por homens errados pode na verdade esconder um problema emocional. Muitas mulheres escolhem este perfil, porque insconscientemente hesitam em se comprometer, têm traumas de família ou de auto-estima baixa. Conheça os cinco passos que atraem os homens errados.

- É importante que estas mulheres aproveitem para se conhecer mais profundamente e saber o porquê desta tendência. Muitas se surpreendem quando descobrem que este bloqueio está ligado à questões fora do limite de sua vida amorosa - esclarece a escritora.

Mas como reconhecer um homem errado? ( Clique aqui e saiba como )

Segundo a autora, uma dica é reconhecer como o ''sujeito em questão'', se relaciona com os amigos. O jeito como ele os trata é parecido com o que ele trata a namorada:

- A maioria dos homens errados tem uma extensa rede de amigos, mas passa superficialmente por elas. O tempo de duração das amizades pode ser extremamente curto porque a personalidade de um homem errado tanto espalha carisma, como falta de credibilidade.

Conheça os personagens da literatura e as celebridades de Hollywood que eram legais e se tornaram homens errados

Encontre um cara legal
De acordo com Kristina, o primeiro passo para encontrar um cara legal é desfazer a suspeita de que eles são mais grudentos que celofane e que estão prontos para se comprometer antes que você deseje. Ao contrário das crenças populares, os caras legais só parecem ir mais depressa do que os homens errados porque as intenções deles são mais sinceras.

- Ele começará o relacionamento ansioso pela aprovação da sua companheira. Além disso, contará histórias pessoais que darão a impressão de confiança e falarão sobre namoros bons e ruins. Os homens errado sabem manipular as emoções femininas, o homem certo, não - esclarece.

É importante lembrar que, apesar de um cara legal parecer que se move mais rápido do que um homem errado - mais encontros por semana, mas elogios por hora - isso não quer dizer que ele está apaixonado. Eles reúnem dados antes de declarar o seu amor.

- Um cara legal vai convidar uma mulher para sair e continuar a se encontrar com ela, até reunir provas suficientes de sua compatibilidade a ponto de decidir que está apaixonado - destaca a escritora.

Dedo podre: por que há mulheres que só escolhem os homens errados?



Atrair sempre o mesmo tipo de homem tem motivo (e a culpa não é deles!)

Você acha que não dá sorte com relacionamentos, pois escolhe sempre homens complicados para namorar? Ou não aguenta mais ouvir a melhor amiga reclamar de que só arruma sujeitos comprometidos, que só desejam uma aventura e nada mais? Antes de colocar a culpa no sexo masculino, avalie se não é você a culpada por essas escolhas. Para ajudá-la, ouvimos duas especialistas. A consultora Sandra Maia, autora dos livros "Eu Faço Tudo por Você e "Você Está Disponível", ambos da Editora Celebris, explica por que muita gente encara um romance problemático atrás do outro. E a jornalista e escritora Rejane Freitas, autora de Pare de Amar Errado (Matrix Editora), comenta sobre os perfis de homens com os quais, de fato, não vale a pena perder tempo. Compreenda melhor o que se passa pela sua cabeça e livre-se da síndrome do dedo podre.

UOL - Por que algumas mulheres entram em uma relação problemática após outra?
Sandra Maia - Em primeiro lugar, porque confundimos tudo –amor com a distorção desse sentimento. Pensamento com confusão de sentimentos. Apego com aprisionamento. Achamos que o outro é como qualquer objeto que pode ser moldado. Depois, porque gostamos mais da relação e da adrenalina do que do outro ou de nós mesmas. Esse, geralmente, é só mais um objeto a ser conquistado.

UOL - Esse padrão começa na infância?
Sandra Maia - Sim, pois é na infância que formamos nossas crenças com base na percepção do que acontece à nossa volta, com nossos recursos de criança. Ou seja, fantasiamos, saímos da realidade e, então, formamos crenças errôneas que vão impactar todo o nosso desenvolvimento. Quando adultos, nós tendemos a repetir o que percebemos. Logo, se percebemos abandono, podemos escolher abandonar ou sermos abandonadas. Se percebemos rejeição, rejeitar ou sermos rejeitadas, e assim por diante. Passamos a viver em um círculo vicioso, algumas vezes doentio, que é impossível quebrar sem ajuda externa.

UOL - Existe um perfil típico dessas mulheres?
Sandra Maia - Não diria um perfil, mas um padrão de comportamento que escolhe se punir ou ser punida por algo que acreditou lá na infância. Isso parece complexo, e é! E, vale ressaltar, não somos só nós mulheres vítimas dessa confusão; muitos homens sofrem do mesmo mal. Daí a importância de um forte trabalho de autoconhecimento e de resgate da autoestima para, de uma vez por todas, abrir mão dessas crenças e, com os recursos do adulto que somos, fazer novas escolhas.

As escolhas da vida adulta são reflexos das vivências desde a infância; mas é possível mudar



UOL – Mas há um perfil típico da mulher que não consegue ficar sozinha?
Sandra Maia - Durante muitos anos, penso ter vivido exatamente esse papel. Eu entrava e saía de relacionamentos, até que duradouros, porque não conseguia sequer imaginar ficar só. E isso era tão dramático que qualquer companhia contava. Então, eu escolhia a dedo relações complicadas. Relações que não me faziam bem. Ao contrário, empurravam-me ainda mais para o fundo do poço. Eu imaginava que meus companheiros eram deuses, praticamente inalcançáveis. Assim, me submetia e tocava a vida para servir. Meu prazer era viver em função do outro. Isso está ligado à codependência e ao amar demais. E, então, ficar sozinha depois de uma ou duas relações não saudáveis, eu diria a você que é quase humanamente impossível.

UOL - E por que algumas mulheres só conseguem arrumar homens comprometidos?
Sandra Maia -Se eu tenho no inconsciente que relacionamento é negativo, é muito provável que não me relacione, certo? Pois é! Essa é apenas uma possibilidade. Posso escolher, por exemplo, me envolver com quem não está disponível e, dessa forma, manter-me protegida de qualquer relação. Essa pode ser uma saída, mas existem outras. Sempre lembrando: tudo gira em torno das crenças da infância e das formas como vamos nos defender para nos manter vivos. Brigar com esse inconsciente só será possível à medida que trouxermos à tona o que nos fez agir daquela forma quando pequenos. E isso demanda força, coragem, desapego, autoestima e ajuda.

UOL - E por que outras só conseguem arrumar homens mais dependentes, como desempregados ou imaturos, por exemplo?
Sandra Maia - Isso também está ligado à codependência, que é nociva para os dois –vítima e algoz. Ao fazer essa escolha, primeiro optamos viver para e pelo outro, ou seja, viver em função do outro. Então, quanto mais complicado o outro lado, mais vamos nos sentir ocupados e, por que não dizer, realizados. E, nesse caso, tudo também tem relação com ego, vaidade. Você já percebeu como essas parceiras ou esses parceiros especiais são perfeitos? São super-homens e supermulheres que, de algum modo –também inconscientemente–, se anulam para viver o sonho de outro e levam a relação com base no controle, na cobrança, no condicional.

UOL – Que dicas você sugere para ajudar quem deseja mudar esses padrões de comportamento?
Sandra Maia – O primeiro passo é buscar equilíbrio mental, espiritual e físico e manter-se emocionalmente saudável. Também é fundamental trabalhar o autoconhecimento e a autoestima, e tentar compreender o que a move. Outro conselho bem útil e ouvir quem está fora da relação. Se todos dizem: “É fria”, deve ser mesmo! Compreenda o seu padrão de comportamento para, então, a partir daí, iniciar a transformação. Além disso, escolha sempre com base no trinômio: bom, belo e verdadeiro. Deixar de lado o medo, a ilusão e o ego ajuda bastante.





6 DICAS PARA DETECTAR O HOMEM ERRADO:

Rejane Freitas, autora de "Pare de Amar Errado", lista algumas armadilhas que devem ser evitadas
1. Procure homens disponíveis, analisados, resolvidos, que já se definiram na vida. Você terá menos trabalho, mais prazer e não será tão difícil entendê-los. Lembre-se sempre: homens que não se acharam na vida e não se comprometem são os homens errados para amar.

2. Evite homens infelizes, confusos, com traumas, cheios de problemas e conflitos. Fuja também de sujeitos apaixonados por outra mulher e daqueles que estão vivendo um divórcio.

3. Existem homens que se acostumaram a ser solteiros e curtem isso. Não querem mais vida conjugal, casamento, cobranças, responsabilidades ou problemas de outra pessoa. Não querem abrir mão do conforto e da comodidade de cuidar apenas de si. Para esses homens, transas e casos são suficientes. Corra deles. Não será você a heroína que vai prender um homem assim, simplesmente porque essa mulher não existe.

4. Alguns homens são maravilhosos como namorados e amantes, fazem tudo pela felicidade da parceira, mas não são bons como maridos. Quando os papéis mudam e a vida conjugal entra em cena, perdem o interesse e a motivação, como se a vida a dois e o compromisso tirassem o tesão. Pule fora da relação antes que ele fira profundamente a sua alma.

5. Quando conhecer um homem e ele se interessar por você, controle o furor da paixão e ative logo o seu desconfiômetro. Pergunte-se, por exemplo, quem é esse cara que chegou assim do nada, de onde veio, que tipo de família tem, por que quer cair de pára-quedas na sua vida e que motivos você tem para cair na dele também. Questione se ele vai lhe fazer bem ou mal.

6. Ao envolver-se com um homem recém-separado e ele quiser logo juntar as escovas de dente, pise no freio. Dê tempo para ter certeza de que ele está seguro dos sentimentos em relação a você ou se está apenas precisando de uma companhia para superar a perda da ex-mulher. Se for este o caso, quando ele se equilibrar emocionalmente, você corre o risco de ser descartada. Recém-separado, o homem não sabe ficar só, mas, se gosta da ex, continuará indisponível emocionalmente.

Fonte:Uol

DietasAlimentação saudável e economica.



Uma das principais despesas familiares é a alimentação. E é também a única despesa que não podemos deixar de fazer, visto que não vivemos sem comer.

E também não podemos deixar de lado a qualidade quando falamos em alimentação.

E também não podemos deixar de lado a qualidade quando falamos em alimentação.

Veja aqui alguns conselhos práticos de como poupar na alimentação.

Poupar "no Trabalho"

Pequeno-Almoço:


Tome o pequeno-almoço em casa, fica muito mais barato que comer no café e evita impulsos para consumir mais um bolo, por exemplo.


Lanches (da Manhã ou Tarde):
Se gosta de fazer pequenos laches a meio da manha ou da tarde, em vez de ir à pastelaria ou ao café cada vez que quer matar o bichinho, prefira levar bolachas.
Ajudam a enganar a fome, é menos calorico, por isso mais saudável, e é mais barato.
Quando comprar bolachas prefira os grandes pacotes aos de pacotes individuais. Pode levar as bolachas numa caixinha e comer sempre que quiser.
Poupa na compra de bolachas e ajuda a uma alimentação mais saudável
Pode ainda escolher bolachas integrais.
Leve uma garrafa de água de casa, assim evita ter que comprar em locais onde seja mais cara.

Almoço: Se tiver que almoçar fora de casa, deve:
Se tiver que almoçar fora de casa, deve:
Levar almoço de casa. Prepare os alimentos em casa - quanto menos conservantes eles tiverem, melhor.
Além disso, preparar/cozinhar os alimentos em casa fica mais em conta.
Se acha que gasta muito tempo a cozinhar, faça-o nas folgas ou durante o fim de semana. Pode congelar em doses individuais para depois comer durante o resto da semana.
Fazer Sopa. A sopa é dos pratos mais ricos e variados. Além de ser mais barato. Mesmo os nutrientes que se dissolvem na água ficam na sopa, porque na sopa essa água é consumida.
Cozinhar em maior quantidade e guarde para outro dia, poupa por exemplo, em gás, água e electricidade - que despenderia a cozinhar outra vez - além disso, pode sempre levar para o seu almoço no dia seguinte.

Dor na coluna - causas, tratamento

A popularmente chamada dor na coluna pode vir de músculos, nervos, ossos, articulações ou outras estruturas na coluna vertebral. A dor pode ser constante ou intermitente, restrita a um local ou irradiar para outras áreas. A dor pode ser sentida no pescoço (podendo irradiar para os braços), coluna superior, ou na região lombar (podendo irradiar para as pernas).

Dor na coluna é um dos incômodos mais comuns da humanidade. Nos Estados Unidos a dor na região lombar, também chamada de lombalgia, é quinta causa mais comum de consultas médicas. Em torno de 90% dos adultos experimentam dor na coluna em algum ponto da vida, e 50% dos adultos que trabalham têm dor de coluna todos os anos.

Gravidade do problema de dor na coluna

Em geral a dor na coluna não é sinal de problema médico sério. A grande maioria dos casos de dor na coluna são benignos e não progressivos. A maioria das síndromes de dor na coluna são devido a inflamação, especialmente na fase aguda, a qual geralmente dura de duas semanas a três meses.



Embora seja raro, a dor na coluna pode ser sinal se problema médico grave nos seguintes casos:

* Os sinais de alerta típicos de problema que requer tratamento para toda a visa são incontinência dos intestinos e/ou da bexiga, ou fraqueza progressiva nas pernas. Pessoas com esses sintomas devem procurar cuidados médicos

* Dor na coluna é severa, como aquela que é forte o suficiente para interromper o sono, a qual ocorre junto com outros sinais de doença séria (febre, perda de peso), pode indicar um problema médico sério como câncer.

* A dor na coluna ocorre depois de um trauma, como acidente de carro ou queda, a qual deve ser rapidamente avaliada por um médico para verificar a ocorrência de fratura ou outra lesão.

* A dor na coluna ocorre em pessoas com problemas médicos que as coloca sob risco de fratura, como osteoporose e mieloma múltiplo. Nesses casos há necessidade de atenção médica.


Causas da dor na coluna

A coluna vertebral é uma interconexão complexa de nervos, articulações, músculos, tendões e ligamentos, todos esses capazes de causar dor. Nervos longos que se originam na coluna e vão até as pernas e braços podem fazer a dor irradiar para as extremidades. A dor nas costas alguma vezes também ocorre quando não há nenhum problema anatômico aparente. Distensão muscular é a causa mais comum de dor lombar, a qual costuma desaparecer entre duas e seis semanas.



Quando a dor na coluna dura mais de três meses, ou quando há mais dor na perna do que nas costas, geralmente é necessário um diagnóstico mais específico. Há várias causas para a dor na região lombar e pernas: para adultos de menos de 50 anos elas incluem prolapso ou hérnia de disco e doença degenerativa do disco; para pessoas acima de 50 as causas mais comuns são osteoartrite e estenose espinhal.

Tratamento da dor na coluna

Nem todos os tratamentos para dor na coluna funcionam para os diversos casos e indivíduos na mesma condição, e muitos acham que precisam tentar varias opções de tratamento para descobrir o que funciona melhor. Apenas em uma minoria, estimada entre 1-10% dos casos, requer cirurgia. Geralmente acredita-se que alguma forma de alongamento e exercício físico consistente sejam um componente essencial dos programas para tratamento de dor de coluna.

DICAS DE MAQUIAGEM



Vamos deixar aqui o Ba-Ba das dicas mais importantes para se maquilhar. Aquelas dicas que as estrelas de cinema usam! Antes de aplicar toda a sua maquilhagem deve limpar a sua pele,esfoliar e hidratar.Mas para quê? Essa limpeza vai ser essencial para remover todas as impurezas e o excesso de oleosidade que a sua pele tem. Com a esfoliação: ela vai ajudar a remover a camada de células mortas, a sua pele vai ficar fina e muito macia. Deverá hidratar a usa pele com um filtro solar! Caso tenha a pele Oleosa ou Mista deverá ver de um tónico certo para si, evitando assim a obstrução dos poros com a sua maquilhagem.
Vamos começar:
Base
Dê preferência a bases líquidas ou cremosas, pois secam menos a pele. Use uma esponja humedecida em água, para espalhar melhor a base. Aplique uma base mais clara que a côr da sua pele na testa, laterais do nariz, da boca e do queixo, para suavizar os traços e "iluminar" o rosto.

2. Vamos corrigir as imperfeições
Para disfarçar as olheiras, use um tom mais claro que o tom da sua base

3. Pó Facial (Compacto ou Translúcido)
A função deste pó é uniformizar a sua pele — especialmente depois de usar o anti-imperfeições, também a vai ajudar a fixar a maquilhagem. Use aquele pincel mais grosso ou, no caso do pó compacto, a esponja.

4. Sombra
Sombras escuras diminuem os seus olhos; sombras claras aumentam os olhos. As sombras devem ser aplicadas com o tom mais forte nos cantos externos, bem perto dos cílios, e o tom mais claro na parte de cima, bem próxima à raiz das sobrancelhas.

5. Eyeliner
Aplique a sombra antes do Eyeliner. Este deve ser aplicado com uma camada fina e uniforme junto à raiz dos cílios superiores, de dentro para fora dos olhos. Para um traço fino utilize a ponta do pincel e aplique primeiramente na metade da pálpebra para os cantos externos. Depois, faça um traço mais fino do centro da pálpebra para o canto interno.

6. Rímel
Para alongar os cílios, aplique o rímel em pelo menos duas camadas. Use-o apenas nos cílios superiores, para deixar o olhar natural. Se o seu rímel estiver seco, aplique algumas gotas de soro fisiológico.

7. Blush
Aplica-se com pincel uma pequena camada de Blush nas maçãs do rosto, com leves pinceladas. O Blush deve ser usado em quantidades moderadas para não dar um aspecto artificial. Os excessos devem ser retirados com uma esponja contendo pó compacto. Se quiser "alargar" o seu rosto, aplique blush na altura das orelhas, puxando o pincel em direção às maçãs do rosto. Se quiser deixá-lo mais fino, aplique nas têmporas (entre a sobrancelha e a maçã do rosto) e puxe para as maçãs do rosto.

8. Batom
Para fixar o batom, aplique- o e retire o excesso com papel absorvente, passe uma camada de pó compacto e aplique outra camada de batom.
Para aumentar os seus lábios, desenhe o contorno natural deles com um lápis um pouco mais escuro que o batom, do lado de fora dos lábios, esfumace o traço com um pincel e aplique o batom. Use um tom mais claro e cintilante na parte central dos lábios inferiores. Para diminuir os lábios, desenhe o contorno pela parte interna dos lábios, com um lápis mais claro que o batom que irá usar.

9. Limpeza da maquilhagem
O ideal é usar demaquilantes, pois estes são próprios para tirar todo excesso. .Caso não tenha o desmaquilhante, use sabão neutro (próprio para lavar o rosto) para retirar o excesso e depois use um tônico facial.

Estudo: educação machista traz insegurança sexual aos homens



A educação machista que muitos meninos recebem causa grandes prejuízos. Na área sexual isso fica ainda mais claro. Pesquisas mostram que os homens que definem as relações humanas em termos de papéis rígidos 'masculino-superior' e 'feminino-inferior', assim como os que definem sua identidade masculina em termos de controle, violência e repressão dos afetos, apresentam, em muitos casos, um quadro de deterioração da sexualidade. Um estudo, na década de 70, sobre extremistas políticos alemães da direita e da esquerda (entre eles membros do grupo terrorista Baaden-Meinhof) é um bom exemplo. Foi constatado que esses homens apresentavam problemas de disfunção sexual, inclusive incapacidade de atingir o orgasmo.

Apesar de o machão estar perdendo o prestígio, ainda há homens que sentem dificuldade em participar com a mulher da troca recíproca de prazeres eróticos. A preocupação do homem quanto ao desempenho sexual foi encoberta na mesma medida em que a mulher não podia expressar a sua sexualidade.
Durante muito tempo acreditou-se que a mulher não se interessava pelo assunto. Seu aparelho genital servia tão-somente à procriação; o prazer era restrito a ter e criar filhos. Mulher gostar de sexo era motivo de vergonha. O homem parecia, então, não ter problemas quanto ao seu desempenho Da década de 60 para cá, com a liberação dos costumes e a pílula, as influências que protegiam socialmente o homem começaram a ser destruídas. A mulher, que antes só tinha experiência sexual com o marido, mesmo assim de forma restrita, agora exige mais prazer. O temor de não ser considerado 'bom de cama', satisfazendo a mulher, gera insegurança no homem.

Muitas vezes, partir para uma relação sexual causa tanta ansiedade quanto participar de um embate decisivo. Nessa guerra há vários fatores envolvidos. Com frequência se ouve dizer que os homens são 'incapazes de expressar sentimentos' ou 'não têm contato' com suas próprias emoções. Na verdade, os homens tendem a reprimir a autonomia emocional que propicia a intimidade com o outro. Um estudo nos Estados Unidos mostrou que dois terços dos homens entrevistados não conseguiram citar um amigo íntimo. Entre os que conseguiram o amigo era uma mulher. Ao contrário, das mulheres pesquisadas, três quartos puderam facilmente citar um ou mais amigos íntimos.


Fonte: O Dia

10 características masculinas para ajudar você a entender o seu parceiro



Você compartilha um problema, ele não escuta. Pior: escuta e não responde. Parece nem se importar. Você chora e, em vez de ele te abraçar e confortar, fica nervoso e sai de perto. E quando estão os dois perdidos e ele se recusa a parar o carro para pedir informações? Pior que isso, só a obsessão do seu benzinho pelo controle remoto. Viver com um homem e entender suas ações - e reações! - é tarefa para especialistas em relacionamento. Como compreendê-lo?


O casal de autores Allan e Barbara Pease, que já vendeu 25 milhões de livros no mundo todo, transformou essa missão diária, quase impossível, em divertimento. No novo livro Como viver a dois, recheado de máximas e cartoons que vão fazer você dar boas gargalhadas, os dois usam situações cotidianas para exemplificar as características pscológicas e fisiológicas que diferem um homem de uma mulher. E, claro, dão dicas de como tornar essas diferenças compatíveis.


"Uma mulher se preocupa com o futuro até se casar. Um homem começa a se preocupar com o futuro na hora em que se casa", é uma das frases que vão fazer você repensar o modo como vê o seu parceiro.


Veja AQUI 10 DICAS impagáveis do livro. Corra para a livraria para adquirir o seu exemplar. E, claro, entre no clima e compartilhe com a gente a sua 'fórmula' particular de como dar certo com o 'bicho homem'.


Se há uma coisa que agrada aos dois sexos é palpite amoroso!


Fonte: http://www.bolsademulher.com/amor/dicas-para-viver-bem-com-ele-105492.html

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Livro - Mulheres Que Amam Demais - Robin Norwood



Prefácio:
“Dependência é uma palavra assustadora. Recorda imagens de viciados em heroína a enfiarem agulhas nos braços e a levarem, obviamente, vidas autodestrutivas. Não gostamos da palavra e não queremos aplicar o conceito à forma como nos relacionamos com os homens. Mas muitas, muitas de nós, têm sido «drogadas de homens», e tal como qualquer outro dependente temos de aceitar a gravidade do nosso estado antes de podermos recompor-nos.

Se alguma vez deu consigo obcecada por um homem, pode ter suspeitado que a raiz dessa obsessão é, não o amor, mas o medo. Todas nós que amámos obsessivamente estávamos cheias de medo. Medo de estarmos sós, de sermos inaptas para ser amadas e indignas disso, medo de sermos ignoradas, abandonadas ou destruídas. Damos o nosso amor na esperança desesperada de que o homem por quem estamos obcecadas trate dos nossos medos. Em vez disso, os nossos medos e obsessões aumentam até que dar amor para o recebermos se torna uma força dominante nas nossas vidas. E como a nossa estratégia não resulta, tentamos amar ainda mais. Amamos de mais.

Descobri o fenômeno de «amar de mais» como sendo uma síndroma específica de pensamentos, sentimentos e comportamentos ao fim de alguns anos como conselheira de alcoólicos e viciados em drogas. Depois de ter liderado centenas de entrevistas com viciados e famílias fiz uma descoberta fantástica. Muitas vezes os pacientes que entrevistava tinham crescido em famílias com problemas, outras vezes não, mas os seus parceiros provinham quase sempre de famílias com problemas em que haviam sentido um stress e um sofrimento acima do normal. Ao tentarem entender os seus parceiros dependentes, estas parceiras (conhecidas no campo do alcoolismo como «co-alcoólicas») estavam inconscientemente a recriar e a reviver aspectos significantes da sua infância.

Foi sobretudo a partir das esposas e namoradas de homens viciados que comecei a entender a natureza de amar de mais. As suas histórias pessoais revelavam a necessidade de superioridade e sofrimento ao pôr-se no papel de «salvador», ajudaram-me a entender a profundidade da sua dependência de um homem que era, pelo seu lado, viciado e dependente de uma substância. Era óbvio que ambos os parceiros destes casais necessitam de tratamento; na verdade, estavam ambos a morrer devido à sua dependência, ele dos efeitos do abuso de produtos químicos, ela dos efeitos do stress extremo.

Estas mulheres co-alcoólicas tornaram-me claro o poder e influência das suas experiências de infância no seu padrão de relacionamento com os homens. Eles têm algo a dizer-nos a todas quantas amámos de mais sobre a razão pela qual desenvolvemos a nossa predilecção por relacionamentos perturbados, pela forma como perpetuamos os nossos problemas e, mais importante do que isso, sobre a forma como podemos modificar as coisas e curar-nos.

Não tenciono insinuar que as mulheres são as únicas a amar de mais. Há homens que praticam essa obsessão com certos relacionamentos com o mesmo fervor do que qualquer mulher, e o seu comportamento e sentimentos advêm do mesmo tipo de infância e da mesma dinâmica. Porém, muitos dos homens que foram afectados durante a infância não desenvolvem relações doentias. Devido a uma interacção de factores culturais e biológicos, tentam habitualmente proteger-se e evitar o sofrimento com objectivos que são mais exteriores do que interiores, mais impessoais do que pessoais. A sua tendência é para se tornarem obcecados com o trabalho, o desporto ou com passatempos, ao passo que, devido a forças culturais e biológicas que actuam sobre ela, a tendência da mulher é para se tornar obcecada por um relacionamento, talvez com o tal homem magoado e distante.

Espero que este livro possa ser uma ajuda para quem quer que ame de mais, mas foi especialmente escrito para mulheres, porque amar de mais é basicamente um fenómeno feminino. O seu objectivo é muito específico: ajudar mulheres com padrões destrutivos de relacionamento com homens a reconhecerem esse facto, a compreenderem a origem desses padrões e a ganharem as armas que as farão mudar de vida.

Mas se for uma mulher que ama de mais, devo preveni-la de que não é um livro de leitura fácil. De facto, se a definição se lhe adapta e passar por este livro sem ser afectada nem tocada, ou se der consigo aborrecida ou arreliada ou incapaz de se concentrar no material aqui apresentado ou apenas capaz de pensar que ele poderia ajudar outra pessoa, sugiro que leia o livro mais tarde. Todos nós precisamos de negar o que é demasiado doloroso ou ameaçador para poder ser aceite por nós. A negação é um meio natural de autoprotecção que actua automaticamente e espontaneamente. Talvez numa leitura posterior seja capaz de enfrentar as suas próprias experiências e sentimentos mais profundos.

Leia devagar, tentando relacionar-se quer intelectual quer emocionalmente com estas mulheres e as suas histórias. As histórias relatadas neste livro podem parecer-lhe extremas. Garanto-lhe que a verdade é o contrário. As personalidades características e as histórias que se me depararam entre centenas de mulheres que conheci pessoalmente e profissionalmente que se adaptam à categoria de amar de mais não estão de forma alguma exageradas aqui. As suas verdadeiras histórias são muito mais complicadas e dolorosas. Se os seus problemas parecem muito mais graves e desesperados do que o seu, deixe-me que lhe diga que essa é a reacção típica da maior parte das minhas clientes. Cada uma de nós crê que o seu problema «não é assim tão mau», mesmo quando se solidariza por compaixão com a luta de outras mulheres, que, na sua opinião, têm problemas «verdadeiros».

É essa uma das ironias da vida. As mulheres capazes de reagir com simpatia e compreensão à dor na vida de outrem mantêm-se, contudo, cegas à dor que existe na sua própria vida. Sei muito bem disto, já que eu fui quase toda a minha vida uma mulher que amou de mais, até que o reflexo na minha saúde física e emocional foi tão grave que me vi obrigada a analisar o meu padrão de relacionamento com homens. Tenho passado os últimos anos a tentar arduamente mudar esse padrão. Têm sido os anos mais compensadores da minha vida.

Tenho esperança de que para quantas amam de mais este livro seja não só uma ajuda para reconhecerem a realidade mas também um encorajamento para começarem a modificá-la, redirigindo a sua atenção amorosa e, afastando-a da obsessão de um homem, a sua própria vida.

Nesta altura devo fazer um segundo aviso. Há neste livro, bem como em tantos de «auto-ajuda», uma lista de passos a dar de forma a mudar. Se decidir que quer mesmo seguir esses passos, precisará, como em toda a terapêutica, de anos de trabalho e muito empenhamento pessoal. Não há atalhos para sair dos padrões de amar de mais em que está metida. É uma forma de conduta aprendida cedo e muito praticada, e prescindir dela será assustador, ameaçador e um permanente desafio. Este aviso não tem a intenção de a desencorajar. De facto, terá de enfrentar, certamente, uma luta ao longo dos próximos anos se não mudar o seu padrão de relacionamento. Mas nesse caso a luta não será pelo crescimento, mas apenas pela sobrevivência. A escolha é sua. Se optar por iniciar o processo de cura, passará de uma mulher que ama outrem a ponto de sofrer para uma mulher que se ama o suficiente para se poupar à dor``

Download

terça-feira, 17 de maio de 2011

A CABANA- WILLIAN PAUL YOUNG



RESUMO DO LIVRO A CABANA

A filha mais nova de Mackenzie Allen Philip foi raptada durante as férias em famí­lia e há evidências de que ela foi brutalmente assassinada e abandonada numa cabana. Quatro anos mais tarde, Mack recebe uma nota suspeita, aparentemente vinda de Deus, convidando-o para voltar í quela cabana para passar o fim de semana. Ignorando alertas de que poderia ser uma cilada, ele segue numa tarde de inverno e volta a cenário de seu pior pesadelo. O que encontra lá muda sua vida para sempre. Num mundo em que religião parece tornar-se irrelevante, "A Cabana" invoca a pergunta: "Se Deus é tão poderoso e tão cheio de amor, por que não faz nada para amenizar a dor e o sofrimento do mundo?" As respostas encontradas por Mack surpreenderão você e, provavelmente, o transformarão tanto quanto ele.

ARQUIVO EM PDF.
SERVIDOR:MEDIAFIRE

DOWNLOAD

Wild West Billy - Jogo Interativo



Ajude Billy a se tornar uma lenda e salvar a cidade nesta recriação com muito estilo do jogo da forca.



O Wild West Billy - Wild West Games é uma versão no melhor estilo velho oeste do clássico jogo da forca. Aqui, em vez de o desenho clássico da figura composta por palitos e espaços vazios para preencher a palavra secreta, você precisa acertar as garrafas com a sua pistola, escolhendo as letras corretas para formar o termo.

Cuidado na instalação:

Logo na etapa inicial da instalação do jogo, uma tela oferece a opção para você defina a ASK.com como seu mecanismo de busca padrão e página inicial do navegador. Se você não quer que estas alterações ocorram, basta desmarcar ambas as opções.


Modos de jogo
Embora essencialmente seja feita a mesma coisa, há quatro modos de jogo: “Career”, no qual você completa a história e os três oferecidos pelo “Play now” que são “Single player” (jogar sozinho), “Versus” (contra o computador) e “The last bullet” (que você possui apenas uma chance de acertar as letras que faltam).

A história (modo de carreira)
No modo de carreira, a história conta que Jack era o melhor cowboy da região. Ele botava os bandidos para correr e era amado por todos. Entretanto, seu filho Billy parecia que não estava seguindo corretamente os passos do pai. Sua vida era uma catástrofe e ele era tido como um perdedor.

Porém, um assalto à cidade fez com que tudo começasse a mudar. Como Jack não estava lá para defender o local, Billy resolveu deixar para trás seu velho modo de vida e honrar a fama de sua família.

Como jogar
Ao começar o jogo, a primeira coisa a ser feita é escolher a categoria de palavras desejada. Estão disponíveis músicas, filmes, séries de TV, esportes, peculiaridades dos Estados Unidos, curiosidades do mundo, diversos ou termos aleatórios. Também é possível criar seus próprios tópicos de palavras e inseri-los no game.

Cada categoria possui subtópicos, permitindo que você deixe ainda mais específico o tema desejado. Por exemplo, você pode optar por escolher filmes e selecionar uma década. Quando tudo estiver conforme o desejado, basta iniciar o jogo. A interface é composta por uma série de garrafas, que formam a palavra secreta.



DOWNLOAD

CD MATTOS NASCIMENTO

TAMANHO: 55MB
SERVIDOR:MEDIAFIRE


DOWNLOAD

CD VIVA CASSIANE

TAMANHO: 62 MB
SERVIDOR: MEDIAFIRE



DOWNLOAD

Omissão - Auto Ajuda - Livro

Livro com linguagem dinamica e simplificada, que relata onde erramos quando nos omitimos diante da vida.
Em PDF.

Download

Livro - Billy Grahan - Como Nascer de Novo-

Um livro excelente para aquela pessoa que quer nascer de novo.



Download

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Leucemia - o que é, sintomas, tipos, causas, tratamento

O que é leucemia

A palavra leucemia refere-se um grupo de cânceres que afetam as células brancas do sangue. Leucemia se desenvolve na medula óssea, a qual produz três tipos de células sanguíneas:
1. Células vermelhas que contêm hemoglobina e são responsáveis por transportar oxigênio pelo corpo.
2. Células brancas que combatem infecções.
3. Plaquetas que auxiliam a coagulação sanguínea.

Leucemia é caracterizada pela produção excessiva de células brancas anormais, superpovoando a medula óssea. A infiltração da medula óssea resulta na diminuição da produção e funcionamento de células sanguíneas normais. Dependendo do tipo, a doença pode se espalhar para os nódulos linfáticos, baço, fígado, sistema nervoso central e outros órgãos e tecidos, causando inchaço na área afetada.

domingo, 15 de maio de 2011

Doações

Olá Amigos(as)...
Relutei muito em colocar esse tópico para doações.
Por que no início quando fiz o meu Blog de Auto Ajuda era simplesmente para compartilhar dicas,conselhos e falar sobre as patologias e problemas psicológicos, com isso ajudaria a mim e as outras pessoas.

Mas com o tempo eu vi que é complicado demais manter um blog sem doações,para mante-lo no ar, sempre atualizado e dispondo de tempo e informações respaudadas e objetivas sobre os vários temas aqui inseridos.

Bem...Doar é um ato de amor e fé, caridade e solidariedade Cristã.Se de alguma forma contribui para melhorar seu dia com minhas matérias, e se você se sentiu tocado em ajudar-me a manter o Blog funcionando, queira fazer sua contribuição em minha conta poupança, ou utilize o Pague Seguro.

Desde já agradeço sua contribuição e sua solidariedade

E tenha certeza Deus irá recompensa-lo em dobro.

Dados da minha conta:
Agência: 3607
Operação: 013
Conta Poupança:00002865-7

Soluções Seguras Para Dentes Mais Brancos



Nascer com uma dentição alva como o leite é questão de sorte. Mas com uma ajuda do dentista é possível apagar o sorriso amarelo sem comprometer a saúde.
Clarear os dentes deixou de ser privilégio das celebridades ou dos endinheirados. Hoje sobram clínicas a preços acessíveis capazes de dar um novo colorido ao sorriso. E os candidatos andam cada vez mais exigentes: "O advento do clareamento mudou o padrão do que é considerado branco", ressalta Marcelo Fonseca, presidente da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética.

Não à toa, a procura pelo tratamento cresce cerca de 15% ao ano. Mas, se o procedimento fi cou mais barato e as técnicas mais modernas, ele ainda não está livre de riscos. Se for inadequado, induz a hipersensibilidade e problemas no esmalte, como a erosão. Por isso, só deve ser feito sob orientação profi ssional.

Não existe um clareamento para todos. Características individuais determinam tipo, tempo de duração e concentração dos produtos utilizados. Com esses cuidados, a probabilidade de a dentição chiar diante de uma bola de sorvete, por exemplo, se torna mínima. A questão é que as substâncias usadas liberam radicais livres na boca, o que poderia, em tese, potencializar danos já existentes. Como a região está exposta a substâncias cancerígenas, como o tabaco, sem falar na radiação solar e em vírus, células defeituosas poderiam ganhar um empurrão para virar lesões cancerosas com o excesso de produtos clareadores.

"Os clareadores são cocarcinogênicos", diz Rafael Mondelli, professor da Faculdade de Odontologia de Bauru, da Universidade de São Paulo. Ou seja, podem favorecer a formação de tumores. Ninguém, no entanto, vai desenvolver a doença só por ter se submetido a uma sessão de branqueamento. No entanto, vale um alerta para a turma que já faz parte de um grupo de risco — sobretudo fumantes e aqueles com histórico familiar de câncer de boca ou esôfago.

Atualmente há dois tratamentos consagrados: um feito no consultório e outro que a pessoa executa por conta própria. Ambos utilizam as mesmas substâncias, mas em concentrações diferentes: o peróxido de hidrogênio, mais usado em consultório, e o de carbamida, mais comum nas opções, por assim dizer, caseiras. Essa dupla clareadora, diga-se, tem um parentesco próximo com a água oxigenada. Em contato com o dente, ela se degrada e libera íons de oxigênio que penetram no esmalte, a camada mais superficial do dente, chegando até a dentina, a parte dura. Lá ocorre a oxidação das moléculas de pigmentos, que vão fi cando minúsculas até serem absorvidas e eliminadas.

O método realizado em casa é o mais popularizado. Nesse procedimento, é feito um molde da boca no dentista e o indivíduo sai dali com uma placa de silicone, a moldeira. Com o auxílio de uma seringa, ele próprio aplica o produto por duas a três semanas. Hoje ninguém precisa passar a noite com o acessório. Basta fi car apenas algumas horas — em alguns casos, 30 minutos por dia. "Nesse período, acompanhamos o paciente semanalmente", diz o dentista Luis Calicchio, do Ateliê Oral, em São Paulo.

Mas, para Rafael Mondelli, o clareamento levado a cabo nos consultórios é mais seguro. "O profissional consegue proteger os tecidos moles da boca e evitar o contato com o produto e sua deglutição", explica. Duas sessões de até duas horas são o sufi ciente para obter o resultado desejado. Nesses casos, o dentista costuma usar algum tipo de luz para acelerar o processo através do calor, lançando mão de laser, LED (luz emitida por diodo), uma combinação de ambas, entre outras.

O laser já foi alvo de discussão ao ser acusado de aumentar a sensibilidade dentária. "Esse tipo de problema não ocorre quando se usa a luz certa na medida certa", frisa Mondelli. Durante o tratamento, quem anseia por uma dentição branquinha em folha não pode ingerir alimentos e bebidas com corantes, como molhos, folhas de alface, refrigerantes, café — e muito menos fumar. Mesmo após o fi m das sessões, o estilo de vida vai determinar a duração do tom encontrado. Em média, ele costuma permanecer entre um ano e meio e dois anos. E não há problemas em repetir o processo depois desse intervalo. No entanto, por incrível que pareça, para muita gente o clareamento não é um bom negócio. A brancura excessiva acaba iluminando características indesejáveis, como dentes muito pequenos ou separados, além de gengivas que fi cam à mostra quando se diz xis. Aí o resultado pode ser um triste sorriso amarelo, de tão sem graça.

BRANCURA A QUALQUER CUSTO

Há quem seja obcecado pelo clareamento — mesmo com mais riscos do que resultados

Não há mal nenhum em querer ostentar dentes mais claros e brilhantes. O problema é quando essa busca vira uma verdadeira obsessão, levando a pessoa a se submeter a tratamentos sem supervisão profi ssional ou repeti-los antes do prazo. Na Espanha, já se cunhou o termo "blancorexia" para descrever quem sofre dessa mania. Para complicar, o branco total é privilégio de poucos: os dentes têm naturalmente quatro matizes, que se subdividem em quatro tonalidades cada um, entre branco, amarelo, cinza e marrom. Difi cilmente alguém consegue passar de um marrom mais escuro ao alvo. Além disso, o desgaste do esmalte leva à acentuação da cor da dentina, daí que, com o passar dos anos, eles pareçam mais escuros.

QUEM NÃO PODE FAZER

• Grávidas e mulheres que estão amamentando. Os produtos são ruins ao bebê
• Menores de 15 anos, por apresentarem uma dentina menos espessa, sensível a danos
• Pessoas com dentes muito restaurados ou lâminas de porcelana. As substâncias não clareiam restaurações
• Fumantes pesados. No caso deles, é como enxugar gelo. Pode ser indicado só o clareamento em consultório, e não o caseiro com moldeira

CLAREAMENTO POR CONTA PRÓPRIA

Muita gente prefere a farmácia à cadeira do dentista na hora de desbotar o cartão de visita que vai estampado no rosto. Mas os especialistas garantem que o resultado não é o mesmo: os adesivos, apesar de funcionarem, não se adaptam perfeitamente aos dentes de cada um — algo que acontece com a moldeira feita no dentista. Já as pastas, sozinhas, não promovem benefícios visíveis. No máximo, ajudam na manutenção: "São indicadas para prevenir a sensibilidade e preservar os resultados", explica Ana Santoro, coordenadora médica da GlaxoSmithKline Consumo, que fabrica o creme dental Sensodyne Branqueador.

fonte:revista Abril

Dieta Nota Dez,A Dieta Das Famosas.

A filosofia da dieta tem semelhanças aos sistemas de pontos, já muito conhecido. No caso, os pontos são denominados “notas”, ou seja, cada alimento indicado tem um número de “notas” relacionado à quantidade de calorias. Cada pessoa pode consumir um determinado número de “notas” de acordo com sua altura e sexo.

O objetivo desse método alimentar é o emagrecimento sem nenhum tipo de proibição. Até o delicioso, porém calórico, chocolate é permitido, apesar de custar muitas “notas”.

Para a nutricionista Eliane Romantini, essa dieta permite o consumo de uma grande variedade de alimentos. “Nada é proibido e ao mesmo tempo a pessoa tem controle na ingestão calórica, o que pode facilitar a perda de peso, se não exagerar no excesso de alimentos calóricos”, explica.

Outro ponto positivo é a não proibição de nenhum tipo de alimento. “A proibição pode fazer com que as pessoas supervalorizem o alimento e consumam sem controle”, disse a nutricionista. Porém, ela alerta que a ingestão deve ser controlada. “O consumo de alimentos que tem alto teor calórico, com excesso de gordura e açúcar e baixo valor nutritivo, como doces e frituras, deve ser feito em quantidades pequenas e com freqüência baixa, não pode fazer parte do dia-a-dia porque têm poucos nutrientes (vitaminas, minerais)”, diz.

Além do que, o consumo excessivo de alimentos ricos em gordura e açúcar pode favorecer o acúmulo de gordura abdominal, que está relacionada a doenças cardiovasculares, diabetes e hipertensão.

Apesar dos pontos positivos, a nutricionista explica o “perigo” da dieta. “Essa alimentação pode fazer com que o paciente deixe de consumir comidas equilibradas por causa desse sistema de ‘notas’. A pessoa pode acabar substituindo um almoço saudável por um lanche gorduroso por ter o mesmo número de ‘notas’, por exemplo. Ou substituir duas frutas por um chocolate”, afirma.

Uma alimentação saudável, de acordo com Eliane, é quando a pessoa come de cinco a seis refeições por dia, com equilíbrio entre os grupos alimentares, sem excluir nenhum deles. “O ideal é consumir um tipo de carboidrato, proteína, vegetal e fruta nas principais refeições do dia. A alimentação deve ser variada, colorida e ter todos os nutrientes para um bem estar físico e mental”, orienta.
Para obter um emagrecimento saudável, o ideal é combinar boa alimentação com exercícios físicos. “Quando se faz atividade física junto com alimentação equilibrada, o exercício permite que a pessoa aumente massa muscular. Com o aumento de massa, o metabolismo fica mais acelerado e faz com que a pessoa tenha maior gasto de gordura corporal. Caso contrário, se a pessoa perde massa, o metabolismo fica lento, o que dificulta a perda de peso”, alerta Eliane.

Na visão da nutricionista, o importante não é ficar contando desesperadamente calorias, mas sim promover uma reeducação alimentar, onde nada é proibido, mas tudo deve ser equilibrado. O que importa, de verdade, é emagrecer com saúde!

Fonte:Site Dicas Femininas.

Cirurgia Da Intimidade

A cirurgia da intimidade vem sendo cada vez mais procurada pelas mulheres.
Vaidade, auto-estima, manter-se jovem, qualquer motivo é válido para cuidar desse bem tão feminino e valioso.
A cirurgia da intimidade é exatamente o que o nome leva a crer: busca a melhoria estética e funcional dos órgãos genitais femininos. A técnica foi desenvolvida para, inicialmente, fazer reparos funcionais na região. Mas, com o passar do tempo, foi visto que poderia ser indicada para melhorar o lado psicológico das mulheres insatisfeitas com aspectos estéticos da genitália. A ligação entre a auto-estima e qualquer problema na região é bastante íntima, já que dependendo do caso, a estética pode ser alterada, bem como apresentar infecções, incômodo com uso de determinadas roupas, dor durante o ato sexual e até mesmo promover barulhos inconvenientes. O constrangimento provocado por tais alterações é tanto que, na maioria das vezes, a mulher tem dificuldades de sentir prazer no ato sexual e tem vergonha de discutir a questão com o parceiro. A fim de manter o segredo, a alternativa é o fingimento na hora da relação, mais um fator que acaba afetando demais o lado psicológico e que contribui para diminuir a sua auto-estima.

Os problemas mais comuns reclamados pela mulher e corrigidos pelas diferentes técnicas de cirurgia da intimidade são hipertrofia dos pequenos lábios (responsável pela dor ou barulho durante o ato sexual), gordura extra na região pubiana (o que proporciona a área proeminente na área conhecida como Monte de Vênus), hipotrofia de pequenos e/ou grandes lábios, flacidez do púbis e alargamento do canal vaginal.

De acordo com o cirurgião plástico Cláudio Bicudo, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o primeiro passo da cirurgia da intimidade começa com a mulher aceitando e assumindo ter um problema na região. “A partir daí, ela deve procurar um cirurgião plástico que, antes de tudo, mostrará que esse incômodo que ela sente com relação a sua genitália não se trata de nenhum bicho de sete cabeças e que ela não está sozinha nesse drama, existem outras mulheres com o mesmo problema” explica o médico
ressaltando que por fim, ele diagnosticará o caso para indicar o melhor tratamento.

Problemas e procedimentos mais comuns da região genital:

Lifting pubiano: Correção da flacidez local. É feita uma incisão logo acima da região pubiana (similar à da cesárea ou abdominoplastia) e, por meio dela, o profissional reorganiza os tecidos da região retira o excesso de pele.

Lipoenxertia: Repor o volume da região Indicada para quem perdeu volume devido à idade ou emagrecimento exagerado. Para realizar a técnica, o cirurgião retira gordura de outra parte do corpo, como abdômen ou culote, e aplica o material por meio de pequenas incisões, dando volume à região.

Perineoplastia: Reconstrução da musculatura vaginal Indicada para os casos de alargamento vaginal, geralmente após parto normal, a cirurgia reorganiza a musculatura da região de modo a estreitar e reforçar. O procedimento consiste em retirar parte da mucosa vaginal e fazer o estreitamento da mesma com uma plicatura.

Lipoaspiração: Monte de Vênus volumoso Indicado para casos em que o conhecido Monte de Vênus é muito volumoso, chega do a marcar na roupa, além de incomodar a mulher. Através de pequena incisão logo acima ou na lateral do púbis, é introduzida a cânula para aspiração da gordura local. Para potencializar o resultado, pode-se fazer um lifting na região.

Ninfoplastia: Redução de pequenos lábios O cirurgião retira o excesso de pele com o cuidado de manter uma quantidade de mucosa suficiente para a proteção natural. É feita, então, a ressecção e a sutura com fios
absorvíveis.

Cirurgia da mucosa: Clarear a mucosa vaginal O seu escurecimento é comum após a gestação, pois a ação hormonal desse período aumenta a melanina na parte mais externa dos lábios. A solução é retirar a porção mais externa, onde está escurecida. Sob anestesia local, é feita uma incisão nos lábios vaginais para remover a parte escurecida. A cicatriz fica imperceptível após dois meses, em média.

Momentos depois
Logo após a intervenção há um inchaço local que regride na primeira semana, quando é possível perceber os resultados. Segundo Bicudo, nesse período de recuperação, todo o cuidado é pouco com a higiene local por tratar-se de uma região potencialmente contaminada pela rica flora bacteriana local. ” Por 15 a 30 dias é preciso evitar exercícios pesados, lavar-se sempre com sabonete líquido anti-séptico após ir ao banheiro, evitar roupas muito apertadas, dando preferência às ventiladas e seguir as recomendações médicas para uso
de anti-inflamatórios, analgésicos e antibióticos” recomenda o cirurgião alertando que o sexo será liberado de acordo com o procedimento realizado e da cicatrização da paciente.

Fonte: Pesquisas da Net By RÔ.

Truques Para Maquiagem Durar Mais



Toda mulher quando vai sair, gosta de se produzir e caprichar na maquiagem. A maioria torce para que ela fique impecável até o fim do dia ou até mesmo da festa, o que é muito difícil de acontecer. Uma das grandes vilãs é a oleosidade da pele, que desmancha a make rapidamente. Existem alguns truques para a maquiagem durar mais. Mas para que eles realmente funcionem, você precisa saber qual o tipo da sua pele e usar os produtos corretos.

Preparando a pele
Quem possui a pele seca, deve aplicar apenas um hidratante facial e evitar que a pele fique com muito brilho ou ressecada demais. Já quem possui a pele oleosa, deve ter cuidados a mais na hora de se maquiar. Antes de começar a maquiagem, lave muito bem o rosto com produtos anti-brilho ou anti-oleosidade para tirar o excesso de impurezas e sebo.

Enrole uma pedra de gelo na gaze ou soro fisiológico gelado no algodão e passe no rosto, isso também ajuda a fechar os poros e fixar a maquiagem. Em seguida, é aconselhável passar uma loção adstringente para limpar profundamente a pele e só então começar a maquiagem.

Base, pó e blush
Depois da pele limpa e sem nenhuma gordura, aplique a base, que deve ser igual ao seu tom de pele. Para aumentar a fixação, acrescente algumas gotas de protetor oil-free (sem óleo). Aplique o pó compacto, use um pincel macio para um melhor acabamento. O blush sai facilmente principalmente quando é em pó. Por isso, invista no blush líquido que tem boa fixação, define bem os traços do rosto e deixa com a aparência natural. Aplique o blush líquido dando batidinhas com o dedo.

Olhos
Antes de passar a sombra, aplique corretivo, base e pó compacto nas pálpebras para melhorar a aderência e fixação dela na pele. Se a sombra for cremosa, aplique com batidinhas suaves para fixar bem. Para sombra em pó, use um pincel úmido para deixar o pigmento vivo. O lápis e o rímel devem ser de preferência a prova d’ água para não borrar e deixar a aparência feia e manchada.

Boca
Para o batom fixar mais nos lábios, aplique a primeira camada com um pincel, tire o excesso com o papel, e em seguida, passe o pó compacto por cima e a segunda camada de batom. Se não gosta de dar cor aos lábios, mas também não quer sair por aí com aquela aparência de boca ressecada, use apenas um gloss. O gloss é mais prático, não dura por muito tempo e pode ser retocado a qualquer momento.

Mais dicas
O toque final para ajudar a make durar mais tempo é o spray fixador de maquiagem, que além de proteger de qualquer alteração, faz com que os produtos aplicados fiquem no rosto até serem removidos. Também é sempre bom ter lenços de papel na bolsa, eles são ótimos para remover a oleosidade do rosto. Sempre que precisar, pressione levemente o lencinho sobre a pele, isso ajuda a remover os pontos de gordura e deixa sua maquiagem impecável, sem borrar.

Por Alessandra Busko
Site Dicas Feminas

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Doenças Psicossomáticas: Definição e exemplos

Os riscos das doenças psicossomáticas II

TOC-Transtorno Obsessivo Compulsivo

O Transtorno Obsessivo Compulsivo, normalmente, aparece antes dos 25 anos, ou seja, na infância e na adolescência. São comuns as repetições e os tiques nervosos.

Ainda não se sabe sobre as verdadeiras causas do TOC. Há alguns fatores que contribuem para o aparecimento dos sintomas que podem ser de ordem biológica e de ordem psicológica.
Sabe-se que é comum que os sintomas obsessivo-compulsivos podem aparecer durante uma doença ou um problema cerebral, como traumatismo craniano, encefalite ou acidentes vasculares. Podem também surgir durante o uso de certos medicamentos.

Uma grande incidência do TOC foi observada em grupos familiares, onde várias pessoas dessa mesma família são acometidas. Em gêmeos idênticos a incidência é de 20 a 40 vezes maior do que na população em geral. Daí a hipótese de ser uma doença que apresente um fator genético.

Os sintomas são diversos, de leves a graves. Alguns respondem bem à determinados medicamentos, outros não. Sua diversidade é tão grande, que o TOC normalmente é dividido em grupos como:

• início precoce
•associado a tiques ou ao transtorno de Tourette (tiques motores e vocais)
•relacionado a um tipo de bactéria que produz infecções de garganta e febre reumática
O TOC de início precoce está associado à ocorrência de transtorno em familiares, com sintomas mais graves e com menos resposta à medicamentos.

Observou-se também que quanto mais severo o TOC, maior prejuízo do funcionamento social do paciente, mesmo após o controle dos sintomas. Há uma menor incidência de casamentos estáveis entre seus portadores.

Alguns sintomas que podem ajudar na identificação de portadores do TOC:

•preocupação excessiva em relação às coisas que estejam super organizadas, simétricas, definidas ou alinhadas
• lavar as mãos repetidas vezes ou tomar banho também repetidas vezes por sentir-se sujo ou culpado
•verificação sistemática de portas, janelas, aparelhos elétricos, etc…
•preocupação exagerada com doença, sujeira, vírus, germes, etc…
• idéias repetitivas que surgem de maneira incontrolável na mente, ou frases, ou imagens.
Note-se que falo aqui de itens que surgem de “maneira excessiva”.

Alguns medicamentos reduzem os sintomas. São medicamentos que elevam os níveis de serotonina. importante na transmissão de impulsos nervosos. Estes medicamentos bloqueiam o transporte da serotonina para dentro das células. São medicamentos do grupo de antidepressivos. A melhora é conseguida com um grande número de portadores.

A Terapia Comportamental tem-se mostrado eficiente com alguns pacientes, mas a internação psiquiátrica é necessária em alguns casos. Esse trabalho conjunto auxilia grandemente O Transtorno Obsessivo Compulsivo, normalmente, aparece antes dos 25 anos, ou seja, na infância e na adolescência. São comuns as repetições e os tiques nervosos.

Ainda não se sabe sobre as verdadeiras causas do TOC. Há alguns fatores que contribuem para o aparecimento dos sintomas que podem ser de ordem biológica e de ordem psicológica.
Sabe-se que é comum que os sintomas obsessivo-compulsivos podem aparecer durante uma doença ou um problema cerebral, como traumatismo craniano, encefalite ou acidentes vasculares. Podem também surgir durante o uso de certos medicamentos.

Uma grande incidência do TOC foi observada em grupos familiares, onde várias pessoas dessa mesma família são acometidas. Em gêmeos idênticos a incidência é de 20 a 40 vezes maior do que na população em geral. Daí a hipótese de ser uma doença que apresente um fator genético.

Os sintomas são diversos, de leves a graves. Alguns respondem bem à determinados medicamentos, outros não. Sua diversidade é tão grande, que o TOC normalmente é dividido em grupos como:

• início precoce
•associado a tiques ou ao transtorno de Tourette (tiques motores e vocais)
•relacionado a um tipo de bactéria que produz infecções de garganta e febre reumática
O TOC de início precoce está associado à ocorrência de transtorno em familiares, com sintomas mais graves e com menos resposta à medicamentos.

Observou-se também que quanto mais severo o TOC, maior prejuízo do funcionamento social do paciente, mesmo após o controle dos sintomas. Há uma menor incidência de casamentos estáveis entre seus portadores.

Alguns sintomas que podem ajudar na identificação de portadores do TOC:

•preocupação excessiva em relação às coisas que estejam super organizadas, simétricas, definidas ou alinhadas
• lavar as mãos repetidas vezes ou tomar banho também repetidas vezes por sentir-se sujo ou culpado
•verificação sistemática de portas, janelas, aparelhos elétricos, etc…
•preocupação exagerada com doença, sujeira, vírus, germes, etc…
• idéias repetitivas que surgem de maneira incontrolável na mente, ou frases, ou imagens.
Note-se que falo aqui de itens que surgem de “maneira excessiva”.

Alguns medicamentos reduzem os sintomas. São medicamentos que elevam os níveis de serotonina. importante na transmissão de impulsos nervosos. Estes medicamentos bloqueiam o transporte da serotonina para dentro das células. São medicamentos do grupo de antidepressivos. A melhora é conseguida com um grande número de portadores.

A Terapia Comportamental tem-se mostrado eficiente com alguns pacientes, mas a internação psiquiátrica é necessária em alguns casos. Esse trabalho conjunto auxilia grandemente
O Transtorno Obsessivo Compulsivo, normalmente, aparece antes dos 25 anos, ou seja, na infância e na adolescência. São comuns as repetições e os tiques nervosos.

Ainda não se sabe sobre as verdadeiras causas do TOC. Há alguns fatores que contribuem para o aparecimento dos sintomas que podem ser de ordem biológica e de ordem psicológica.
Sabe-se que é comum que os sintomas obsessivo-compulsivos podem aparecer durante uma doença ou um problema cerebral, como traumatismo craniano, encefalite ou acidentes vasculares. Podem também surgir durante o uso de certos medicamentos.

Uma grande incidência do TOC foi observada em grupos familiares, onde várias pessoas dessa mesma família são acometidas. Em gêmeos idênticos a incidência é de 20 a 40 vezes maior do que na população em geral. Daí a hipótese de ser uma doença que apresente um fator genético.

Os sintomas são diversos, de leves a graves. Alguns respondem bem à determinados medicamentos, outros não. Sua diversidade é tão grande, que o TOC normalmente é dividido em grupos como:

• início precoce
•associado a tiques ou ao transtorno de Tourette (tiques motores e vocais)
•relacionado a um tipo de bactéria que produz infecções de garganta e febre reumática
O TOC de início precoce está associado à ocorrência de transtorno em familiares, com sintomas mais graves e com menos resposta à medicamentos.

Observou-se também que quanto mais severo o TOC, maior prejuízo do funcionamento social do paciente, mesmo após o controle dos sintomas. Há uma menor incidência de casamentos estáveis entre seus portadores.

Alguns sintomas que podem ajudar na identificação de portadores do TOC:

•preocupação excessiva em relação às coisas que estejam super organizadas, simétricas, definidas ou alinhadas
• lavar as mãos repetidas vezes ou tomar banho também repetidas vezes por sentir-se sujo ou culpado
•verificação sistemática de portas, janelas, aparelhos elétricos, etc…
•preocupação exagerada com doença, sujeira, vírus, germes, etc…
• idéias repetitivas que surgem de maneira incontrolável na mente, ou frases, ou imagens.
Note-se que falo aqui de itens que surgem de “maneira excessiva”.

Alguns medicamentos reduzem os sintomas. São medicamentos que elevam os níveis de serotonina. importante na transmissão de impulsos nervosos. Estes medicamentos bloqueiam o transporte da serotonina para dentro das células. São medicamentos do grupo de antidepressivos. A melhora é conseguida com um grande número de portadores.

A Terapia Comportamental tem-se mostrado eficiente com alguns pacientes, mas a internação psiquiátrica é necessária em alguns casos. Esse trabalho conjunto auxilia grandemente esses portadores que têm sua vida limitada por essa doença.

Fonte:Psicosite
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Loading...