Agora são: .Horas e .Minutos - Bem vindo ao Blog Co Dependentes Emocionais **Deus Te abençõe e Te Guarde **

terça-feira, 19 de julho de 2011

Alguns depoimentos de MADAS

Relatos retirado do Blog Amar Demais.Por Sabrina


O que Há de Errado Comigo? Sentimentos de Abandono e de Rejeição

Comentários
Nao sei explicar mais de 9 anos pra ca o que vem acontecendo comigo e so sofrer de amor todas as pessoas que amo e aparecem em meu caminho no comeco e tudo flores e depois acaba sem explicacoes, acho que tudo isso aconteceu quando tive um relacionamento pra casamento e a mae dele nos separou, era mae de santo e espitira, nao tenho nada contra gosta de saber das coisas e ate mesmo pedir por pessoas que estao necessitando mais parece que me tornei uma pessoa mais apagada, como pode. Gosto das pessoas e elas de mim nada exagerado porem depois de 1, 2 ou 3 anos de convivencia com a pessoa tudo isso acaba sem deixar explicacoes. Sera que estou sendo errada.... mais so sei que estou sofrendo por isso, tento ser a melhor companhia possivel mais acho que ninguem entende. Nao sou uma pessoa egoista, nem tenho amor doentio e nem mesmo quero prisioneiros do meu lado.

DE ACC: Simone
DATA: 8/1/2005 14:36:58

Publicado por: Anonymous às junho 20, 2006 09:02 PM

Sempre pensei que tinha havia algo de errado comigo porque não conseguia ter um bom relacionamento. Tentava, tentava, mas as coisas não funcionavam. Enchi-me de livros da nova era, de livros espirituais para tentar mudar alguma coisa. E algumas coisas mudaram, foram melhorando, mas foram mudanças muito pequenas. Foi preciso bater no fundo! Foi preciso um relacionamento com um alcoólico para ouvir falar em co-dependência, mulheres que amam demais, dependência emocional .... e principalmente para começar a frequentar as reuniões. Isto para mim foi o passo mais importante da minha vida. De repente em vez de ler palavras nos livros vi pessoas que seguiam um caminho espiritual, que eram um exemplo verdadeiro e real para mim, pessoas com podia conversar e compartilhar os meus sentimentos. Estas pessoas são tão importantes para mim pois só com a sua ajuda consegui finalmente ter uma mudança de fundo no meu comportamento e na minha vida.
E hoje estou grata ao meu (ex)alcoólico. Afinal foi este relacionamento que finalmente me fez perceber os meus próprios padrões de comportamento e começar a mudá-los. Sem ele provavelmente ainda estaria a bater com a cabeça na parede sem fazer a mínima ideia do porquê.
Refizemos as nossas vidas separados e só falamos muito raramente. Mas ainda carrego uma tristeza no coração. Independente de mim, gostava muito que ele entrasse em recuperação. Acho que essa seria das maiores alegrias que poderia ter na vida.


Publicado por: Sofia às julho 14, 2006 12:25 AM

Só me envolvo com pessoas que conheço na net!
E é claro os homens mais complicados q alguem pode achar... descobri q não gosto de sair de casa! Ligo p os homens q nunca retornam meus telefonemas, tive um casamento mais do que falido, no qual ele colocava eu para baixo o tempo todo, acho que amar não é p mim e nunca sera e isso me da uma tristeza muito grande e as vezes no desespero me envolvo com esses homens complicados, sei q não devo ligar mas e como o drogado atras da droga, até q eu não ligo não fico sossegada, depois me arependo!
Tenho o livro meditações diarias p mulheres q amam demais, mas as vezes nem ele consigo ler, passo as vezes o dia na cama, não conseguindo sair, mas não é cansasso e as vezes durmo o dia e a noite toda...
Minha vida esta totalmente descontrolada, meu ex marido quer a guarda dos meus filhos... fico desesperada... vivo sendo ameaçada por ele, pois ele fala q vai ficar com as cças... sinto-me fraca e sem forças p lutar... e sozinha tb...
obrigada por esse espaço p que possamos desabafar!

Publicado por: Eva às julho 17, 2006 08:16 PM

É tão estranho o que se passa. Estou uns dias deprimida. Não há nenhum motivo aparente. Não aconteceu nada de especial. Mas tudo me parece negro e horrível. Não me apetece fazer nada. não tenho energia física. Depois de súbito acordo bem disposta e estou novamente cheia de boa disposição mais uns dias. Também não aconteceu nada. simplesmente é assim! Não percebo de onde é que vêm estas mudanças de humor.

Publicado por: Anonymous às novembro 24, 2006 09:12 AM

... sugere-nos que evitemos relacionamentos destrutivos, sejam quais forem: com familiares, patrões, amigos, ... Pelo menos até sabermos lidar com eles de forma positiva. Aprender a abster-me de relacionamentos destrutivos, que accionam gatilhos doentios, é uma das minhas metas.
A dependência de relacionamentos é uma doença que tem muitas raízes, sendo uma das raízes mais profundas a rejeição. Quando o gatilho da rejeição é accionado, parece que ficamos ainda mais doentes e mais obcecadas pela pessoa que nos rejeitou. Isso é um dos sintomas de nossa dependência.
Abrir mão da obsessão pela pessoa que nos rejeitou é um passo importante para a nossa sanidade.
Devemos aprender a seleccionar melhor as pessoas com quem nos relacionamos e a valorizar aquelas que gostam e nos querem bem, e a nos afastar daquelas que nada nos ajudam e fazem piorar a doença, pelo menos até termos ultrapassado isso de uma forma sadia.


Publicado por: Anonymous às setembro 10, 2006 07:40 PM


Publicado por: Anonymous às dezembro 25, 2006 11:11 PM

Quando temos a ideia pré-definida de que não ninguém gosta de nós, de que não somos dignos de amor, que não merecemos ser amados acabamos por pensar isso sobre quem quer que seja que esteja connosco e independentemente da maneira que o outro nos trate. Normalmente este processo é inconsciente e não nos apercebemos dele.
Muitas vezes tem origem na infância quando há problemas no relacionamento com os pais ou mais tarde em relacionamentos traumáticos.


Publicado por: Anonymous às janeiro 1, 2007 07:46 PM

Estou amando um cara super dez, porém, ele tem namorada, eles já estão juntos há dois anos. Quando estamos juntos ele me trata com muito carinho, no entanto tem horas que o percebo distante. Sinto necessidade de ligar para ele todos os dias, mais ele não me dá muita atenção. Sei que estou errada, que não deveria ter me entregado desta forma, já tentei evitá-lo, mais não consigo. No fim do ano passado, viajei para me manter longe, isto me causou uma depressão enorme que não via a hora de voltar para procurá-lo. Tenho vontade de participar dos grupos de ajuda as mulheres que amam demais, se alguém souber como faço me avise por favor. preciso muito.

Publicado por: Simone às janeiro 18, 2007 07:35 PM

Acho que o vazio está em nós, no nosso coração e não nos outros.
Quando me sinto só, desprezada, abandonada mesmo que esteja acompanhada por mil pessoas posso sentir-me só à mesma. Isolo-me e fecho-me no meu buraco. Não me apetece falar com os outros. Os outros falam comigo e são simpáticos mas se eu estiver “num desses dias” parecem-me horríveis e que não me ligam nenhuma, que não se preocupam comigo ...
As pessoas de quem eu gosto quando estou bem disposta, passam a ser monstros na quando estou mal disposta. Isto mostra-me que tudo é minha fantasia, tudo está na minha maneira de olhar para as coisas. As coisas não mudaram. O que mudou foi o meu estado de espirito.
Tento manter esta lembrança para quando isto acontece nos dias maus não dar tanta importância a estes pensamentos e sentimentos que só me perturbam.


Publicado por: Anonymous às janeiro 26, 2007 03:02 PM

...é Sofia...também me sinto assim, faz tres anos que ele me deixou mas simplesmente não consigo deixar de ama-lo e depois que eu soube que ele vai se casar meu desespero aumentou...acordo desesperada, agitada, só melhoro quando mando uma mensagem, um e-mail, etc. Parece o usuário de drogas, que sabe que não deve usar mas entra em estado desesperador até que usa a maldita e sente aquele alívio!!! Isto é horrível!!!

Publicado por: Galega às fevereiro 1, 2007 09:38 AM

Sempre pensei em casar, ter filhos, achar o homem ideal; estou namorando um rapaz que anda me cobrando meus sonhos, o que quero fazer, o que deixa feliz, comecei a me sentir perdida, principalmente quando ele começou a me perguntar quem é a Vera?
Caraca!!
quem sou eu, sou a mulher esperando um principe encantado, pra me levar e ser feliz ponto e acabou?
O balde de água fria caiu, estou desesperada pra saber quem sou.
No fundo eu sei que sei, não quero adimitir, pq acho q se eu mostrar quem sou realmente ninguém vai gostar de mim, sofri muito com outros namorados,com esse acho legal o q ele está fazendo, mas ao mesmo tempo precionada, principalmente quando ele diz que eu sou uma mulher de 28 anos.
Quero ser amada demais pelas pessoas, q deixo de ser eu mesma pra agradalas.

Publicado por: Vera às fevereiro 7, 2007 12:21 PM

Não tenho amor doentio por meu namorado atual, mas tenho medo que se torne. Quanto mais tento demonstrar a ele o meu carinho, mais eu o agrido verbalmente, mais gero discussões desnecessarias e sem motivo. Assumo que sou uma pessoa carente e receio que seja isto que esteja me prejudicando em meu relacionamento. Meus relacionamentos anteriores foram cheios de muita magoa e ressentimentos, sofri muito pois sempre me apegava demais as pessoas e tinha muito medo de perder. Sou uma pessoa ansiosa, possessiva outras vezes sou carinhosa, compreensiva, doce.

Publicado por: aline às fevereiro 23, 2007 04:06 PM

Quem sou?
A que lugar pertenço?
Para onde estou indo?
Ontem estive a observar uma amiga e sentir saudades de mim.Como aquela minha amiga eu irradiava felicidade, positivismo, me mostrava acima de qualquer problema, transmitia confiança. Qua saudade de mim mesma!
Hoje ando de cabeça baixa, nada me faz sorrir, meu semblante é tão pesado que até eu mesma sinto-me mal.Em qualquer lugar que estou não me sinto parte do grupo.Quero estar só, sem precisar sorrrir sem vontade.Sem perceber que as pessoas estão me achando uma chata mas disfarçam. Quero voltar a acreditar no futuro...Meu Deus, onde será que enterrei-me? Como me encontrar e me resgatar? Será que alguém pode escrever algum insite sobre isso? Estou desesperada...

Publicado por: Galega às fevereiro 15, 2007 03:17 PM


Publicado por: Anonymous às março 26, 2007 09:48 PM

Sinto um vazio imenso pois não tenho ele ao meu lado desde que ele me trocou por sua atual mulher, fiz tanta coisa para ele, e ele agora só fala que eu não presto, quero tanto que ele volte para mim, parrece que ele agora tem um filho tenho vontade de matar o filho dele de matar sua esposa de feri-lo de qualquer jeito já que ele me feriu, e nem se preocupa comigo, me deixou na rua da amargura e ñunca teve pena de mim, nem que r saber que eu existo, ninguém vê o sacríficio que fiz por ele, nem ele reconhece o dinheiro que gastei indo atras dele, ele só se divertiu comigo, parece que sou um copo descartavel e ninguém liga ou me ajuda, só manda eu procurar outro mas eu não quero outro quero ele, quero a vida que eu planejei e tomaram de mim, e ninguém entende eu posso ter tudo mas se eu não tiveer ele para mim a vida não tem valor

Publicado por: Selma às março 27, 2007 07:59 PM

Hoje em dia tenho a certeza que as coisas estão apenas na nossa mente. Que este sentimento de abandono está apenas na nossa mente. Já vi isto tantas vezes. Já o observei em mim vezes sem conta. Nas mesmas situações, com as mesmas pessoas se eu estou bem e chego a um sitio parece que sou bem recebida, acarinhada, bem vinda. Se eu estou mal, angustiada, fecho-me, isolo-me. Chego ao mesmo sitio onde estão as mesmas pessoas e parece-me que elas não me ligam, não gostam de mim, não se importam.
Mas estas pessoas são exactamente as mesmas. E os seus sentimentos não mudaram. O que mudou foi a minha mente. O modo como me sinto em cada momento. Quando me identifico com o que estou a sentir em cada momento, isso faz com que veja os outros de maneiras diferentes, que os sinta de maneira diferentes de acordo com os meus estados de espirito. Na verdade os outros não existem como pessoas fixas com características próprias, apenas existem como eu os vejo. Apenas existem como eu os sinto. E como é que eu os vejo e sinto? Como eu me estou a sentir em cada momento.

Tenho a certeza que as coisas funcionam assim. Mas quando estou em baixo é difícil não sentir esse sentimento de abandono e rejeição que “vem da parte dos outros”. Mas se racionalizar e analisar as coisas que me vão acontecendo, o que ocorre durante os altos e baixos do dia a dia dá para perceber que não é assim. O que vejo nos outros em cada momento é apenas a imputação que a minha mente está a fazer. Se estou com uma mente feliz e serena faço uma boa imputação. Se estou ansiosa, deprimida, angustiada faço uma má imputação.

Quando estou numa crise de me sentir rejeitada então a cada pessoa que vejo imputo a sensação de ela me rejeitar. Nesse momento o que quer que a pessoa faça ou diga não parece suficiente para sentir que ela gosta de mim ou me liga. Isto acontece inconscientemente. Tomar consciência destes processos internos ajuda-me a não me identificar com esses sentimentos negativos, a distanciar-me deles e a não me deixar ir nas suas ondas e marés, a observar apenas esses sentimentos sem me agarrar a eles, saber que também eles vão passar. Ajuda-me a ter humildade de perceber que não sou perfeita e de que não consigo nem preciso de ser feliz em todos os momentos da minha vida. Quando desenvolvo a paciência de aceitar que não tenho que ser feliz em todos os momentos, isso dá-me uma enorme serenidade que me ajuda a ultrapassar os momentos difíceis, sem criar raiva, depressão, angustia ... apenas sabendo que isto são apenas momentos que também vão passar ...

Publicado por: Anonymous às abril 3, 2007 09:31 PM

Bom dia!
Caros,
Estou perdida e gostaria de ouvir uma 2ºopinião. A minha vida deu um giro de 80gr. O ano passado estava no 3 ano de minha faculdade de Adm. e namorado com um cara extremamente apaixonado por mim, imaturo, mas apaixonado, De repente esse msm amor foi se afastando e fui me sentindo sozinha, sempre tive mtas decepçoes, fui criada pela minha avó, pq minha mae e meu pai me rejeitou qdo nasci. Tve namoros horríveis e frustados. No final a maioria me traiu, o me deixou ver navios. Conquisto vários amigos, mas qdo eles me conhecem relamente e vê a pessoa carente e triste q sou, afastam se de mim. Os homens sinto q ´somente querem transar comigo... isso me corrói... até prostuituta uma época de minha tentei ser... mas, nem para isso eu sirvo, isso não são minhas palavras e sim de uma prostituta q conheci. Disse vc nasceu para brilhar e não para essa vida! Enfim, voltando ao início. Então, meu namorado me deixou... tive q parar a faculdade e fui mandada embora do emprego. Então, no age da minha carência conheci uma garota d origem oriental q fui mto legal comigo, a msm é lésbia, então iniciamos um namor. Pensei q poderia ser feliz com ela... nuka tinha saído com mulher antes... mas,tive tantas decepçoes com homens q imaginei q com mulher poderia ser diferente!! Mas, bateu a repulsa... e vi q nao era isso. A magoei demais, ela até tomou calmantes, para domir... fiquei toda pedida, voltei a trabalhar, e a estudar... e tbém voltei com meu ex... ela me infernizou mto por um tempo...mas, conheceu outra garota e por fim, se casaram e acredito q estão no age desse amor. Agr o problema é comigo. Dpois, de td isso, fiquei totalmente insegura, meu namorado hj, não é mas o msm, hj é tão seguro de si, parece q sou somente uma peça na seu rack... às vezes me trata com uma rainha, mas às vezes me deixa de lado, e essa insegurança extremada da minha parte, está prjudicando minha relação, se o fone dele, toca fico atenta... se, não vejo ela na semana, fico ligano toda hora, o stupim, foi esse fds, combinamos de alugarmos um filme para vermos à noite. Só q me atresei e ele desceu com um amigo e alugou uns filmes, e nem me esperou... eu axei uma mancada tamanha, uma falta de companherismo, cheguei em sua casa, e quebramos o maior pau, até im copo foi rebrado... ele disse q estou assasinando o amor dele, tem pavor... em pensar em ele me deixar... mas, axei q ele não me axou importante... bem, qria alguma opinião, uma ajuda msm... Obrigada, segue meu e-mail...fcallil@bol.com.br

Publicado por: Fernanda às maio 14, 2007 12:56 PM

gostaria de participar poi amo muito e esqueço de mim,quero participar po email,adorei saber destas historia saber que não é so eu que amo meu marido demais.espero respostas.

Publicado por: andreia às junho 6, 2007 01:16 PM

Para mim a ajuda veio quando eu menos esperava, mas quando eu mais precisava. Não sabia o que estava por vir. Sempre me envovli em relacionamentos destrutivos, e nunca havia ficado um dia sequer só. Prefiria qualquer um à solidão. E, com isso, fui caindo cada vez mais o nível de exigência. Até que, no último dia 15 de junho fui espancada pelo meu, então, namorado. A sorte é que um mês antes fui apresentada, por uma amiga, ao Grupo MADA, onde eu estava indo e me sentindo muito bem. Consigo falar sobre tudo o que aconteceu estes anos todos sem ser julgada, recriminada, ou que tenham piedade de mim. TODAS me enxergam como companheira, e que minha história de vida tem muito a acrescentar as delas. A recíproca é verdadeira, e toda essa troca me deixa cada dia mais saudável e com vontade de mudar realmente. De ser uma pessoa inteira, auto-suficiente no quesito emocional. Pois profissionalmente, não tenho do que me queixar, mas o emocional é o que tenho que curar diariamente. Só por hoje não preciso de ninguém para me completar, pois sou uma pessoa ineira! Só por hoje estou melhor. Só por hoje sou feliz!

Publicado por: Silva às julho 6, 2007 01:33 PM

Sou filha de ex-alcolotra.E como tal vivo em situações de co-dependência. Tenho medo de rejeição de ficar só. Quando entro numa relação apaixono-me com facilidade. Mas só gosto de homens poderosos e estáveis financeiramente.Os outros não me apetecem, não combinam comigo também. Sofro tanto que tem hora que tenho vontade de partir para outra vida.E não sou depressiva, até sou bastante otimista. Mas nao tenho mais aguentado a dor de começar e terminar os relacionamentos.Normalmente me aproximo de gente complicada, neurótizada.Fico cuidando e tentando entender essas pessoas ao invés de cuidar dos meus sentimentos e me posicionar melhor, além de colocar limites na relação. Percebo claramente que não o faço (colocar limites, me mostrar) por medo do outro ir embora, contudo, ele sempre vai, porque ao final, numa última análise, eu fico aquele tipo de mulher submissa, boazinha que ninguem respeita, apesar de achar gente boa.
Eu tenho muita consciência desses processos. No nível racional eu entendo, mas o emocional não acompanha.As sentenças que acatamos quando crianças ficam vivas no nosso subconsciente e são difíceis de mudar. Muito difíceis.
Eu vejo que meus pais me destruiram psicológicamente pelos abusos verbais e as surra, fazendo com que eu me sentisse uma porcaria e não merecedora de grandes coisas, mesmo sabendo que não sou.
Luto todos os dias, incansávelmente,todavia, os resultados são pifios. Não vejo expressivas melhroas. Sei que temos que alterar nossos comportamentos, fazer diferente... alguém consegue????? alguém ai me diga, por favor, conseguiu ficar confiante e ser diferente, e amar tranquialmente e se sentir inteiro e feliz, mesmo sozinho???? ou estamos condenados a sofrer? Nao quero sofrer!!! tô cansada...

Publicado por: Magali às agosto 4, 2007 11:14 PM

Acabei de sair de um relacionamento de 6 meses. Tô arrasada pq cai novamente na minha ilusão. Sou tão carente de afeto, aquele vazio que vem desde criança, pq não fui criada com amor pela minha mãe.
Faziamos altos projetos, viajavamos, olhamos apartamentos, terrenos, contratamos um projeto para nossa casa, planejamos viagens, nos falavamos todos os dias dividindo a rotina de uma forma intima e gostosa, ele dizia que me amava... eu achei que tinha achado o homem da minha vida.
Derepente percebi que ele vivia uma relação doentia com a ex-esposa, que não cuidava dos filhos, que brigava no trânsito, que diminua seus funcionários... um desajustado. Mas ainda assim eu queria ficar com ele. Fazer vista grossa e ficar apenas para ter um marido!!!! Foi quando percebi que não daria conta de ser 'a outra', ficar vendo-o levar o cachorrinho da ex para passear, viajar com ela de vez em quando e com os filhos. Não validar a relação. Mas mesmo assim eu queria ficar e pagar o preço até que ele terminou comigo. Ficou com ódio pq como podia ele me despensar assim.
Percebi como sou doente e co-dependente e que, apesar de ter uma vida boa, ser cercada de amigos, de amor dos meus familiares, eu sinto um vazio imenso e só consigo me sentir plena quando tenho um homem ao lado. Gostaria imensamente de me sentir bem sozinha e não depender mais de ninguem.
Faço terapia mas os avanços são poucos e olha que eu sou uma pessoa culta e com várias pós-graduações. Mas isso não vale de nada!!!! não mesmo.
Alguem poderia me ajudar e me explicar como melhorar esta situação.
Ficaria muito grata.


Publicado por: Magali às agosto 4, 2007 11:24 PM

Vocês já ouviram falar do CODA, uma irmandade de pessoas com problemas de co-dependência? parece que é o caso da maioria dos que estão aqui.
Eu ainda estou conhecendo a proposta do grupo pq quero mudar.
Não aguento mais me sentir inadequada, rejeitada, carente, abandonada. É uma loucura estes sentimentos e como me aprisionam!!! acabo por me envolver apenas com homens problemáticos e inseguros que não podem me fazer feliz.
Tudo que eu quero é me envolver com alguem saudável e completo que possa me contaminar positivamente.
Quando termino uma relação, quando levo um fora, eu tenho vontade de acabar com o outro, pois sinto-me desprezada!!! se posso faço tudo para destrui-lo moralmente, numa atitude infantil.
Agora mesmo eu e meu namorado terminamos. Eu sei que ele é um cara instável e agressivo, que não serve pra mim. Minha vontade é escrever um monte de coisa denunciando seu carater frágil e seu jeito de ser mesquinho. Mas estou me freando pois nao vou ganhar nada com isso, não é mesmo?
As vezes penso que é melhor me calar e desconsiderá-lo, ignorá-lo. Talvez isso venha a doer mais que um comentário agressivo, não sei...
Sei que tenho que cuidar mais de mim e parar de ter medo de ficar só. Por este motivo (medo da solidão) eu tenho tido crises de ansiedade, com sudorese e um monte de transtornos desagradáveis oriundos da ansiedade.
Só queria ficar bem sozinha. Isso é possível de ser ensinado?
se for me contem.

Publicado por: Catarina às agosto 5, 2007 10:28 PM

Eu fui abandonada pelo meu pai qdo criança e minha mãe nunca foi muito carinhosa. Meu padrasto me batia e ela fazia vista grossa. Sou filha única da minha mãe. Já mergulhei em relacionamentos ridículos e qdo estou apaixonada não consigo enxergar as coisas como elas realmente são.. Faço tudo p agradar a pessoa, moldo a minha vida do jeito q ele quiser e mesmo vendo q a pessoa não corresponde no mesmo nível q eu, eu fico procurando desculpas esfarrapadas p desculpá-lo. Meu namorado terminou comigo faz uma semana. O amo demais e gostaria de ter uma segunda chance, mas acho q ele não vai me procurar de novo pq cansou das minhas cobranças. E na verdade acho q ele não me amava a metade q eu o amo. Tinhamos um relacionamento tão gostoso, tanta intimidade e companheirismo. Mas andei passando por muitos problemas e acho q deixei isso influenciar meu relacionamento. Ele disse q me via somente mais como uma amiga q outra coisa.. Como isso me doeu. E sei q ainda vai doer... mas meninas! Eu não vou ficar no fundo do poço balbuciando o nome dele não!!! Eu sei q sou bonita, sexy, simpática, companheira, leal, dedicada, divertida, parceira mesmo, p o q der e vier! Sei q mereço ser amada de verdade e se passei alguns problemas profissionais e financeiros e ele não teve pachorra p me ajudar a superar esses problemas (na verdade já tão a ser superados graças a Deus) é sinal q ele q não me merece! Vou levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima! Até pq com esta lição dolorosa percebi q homem nenhum gosta de mulher carente demais q acha q o homem tem q suprir todas as tuas carencias e ansiedades, mulher q tem pena de sí mesmo, mulher q fica chorando pq a vida tá ruim mas não faz nada p mudar... E outra, eles quererm alguém q tb ganhe bem, tenha carreira, tenha projectos e ocupações para não fazer deles uma bóia salva-vidas e o centro do mundo da gente! Então meninas: ACORDEM!!! Eu sei q dói. Sei q é difícil. Tou sentindo isso no couro... Mas agora vou cuidar de mim! Quero provar p mim mesma q não sou uma fracassada, uma pobre coitadinha q vive se remoendo na autocomiseração! Não!!! Eu estou com 32 anos, e não tenho nada pq vim ha 2 anos p Portugal e deixei tudo p trás no Brasil. Mas sei q posso chegar longe SE EU QUISER de verdade e perseguir com força de vontade meus objectivos!!! Vamos parar c as lamentações e levantar a cabeça! Agora se um homem me quiser (e querer sempre tem quem queira pq sou bonitinha, simpatica e atraente) eles q deêm jeito de estar comigo... me colocar de bandeja de novo p eles? Nãoooo.. acho q tudo tem q ser uma troca justa! De igual p igual... até pq tudo q é muito facil enjoa né? Não pensem q não tenho insonia, agonia no peito.. tenho sim! Faz uma semana q ele acabou comigo, mas sei q isso vai passar pq vou me ocupar, e meu sonho agora é ser uma grande profissional de informática.. vou estudar inglês, fazer cursos de webdesigner... enfim.. se um dia ele me encontrar na rua por acaso vai ver uma mulher com M maíusculo e não um projeto de mulher dependente de homem p ser feliz.. A felicidade esta dentro da gente.... e não nos outros! Se vc entender isso vai conseguir dar a volta por cima sempre, pq vc pode fazer o q decidir fazer.. já o q os outros vão fazer não depende de nós.. e aí já viram né? Bem era isso.. faz bem desabafar.. mulheres!!! lutem e se valorizem mais! Viva a vida! Ela é muito curta p ficarmos no buraco! Já basta q vamos p lá um dia e esta é a unica coisa q não tem solução mesmo: a morte! o resto a gente querendo pode sim superar!!!!!!!!!!!!!

Publicado por: Alexandra às agosto 14, 2007 06:33 PM

Eu também passo por isso, amo demais, um amor incontrolado. Sofro e faço quem eu amo sofrer também.

Publicado por: Sergio às agosto 22, 2007 12:26 PM

As vezes estou bem conversando com minha mae normar!Derrepente me da uma angustia um aperto no coraçao e eu vou ficando triste!Eu busco resposta sobre isso!
ESTOU COM DEPRESSÃO?
ME AJUDEM A DESCOBRIR?

Publicado por: Anonymous às outubro 8, 2007 06:42 PM

O meu namoro era só felicidade, e agora tudo esta diferente~, o estar junto antes parecia mais presente e agora é só um ficar a dois sem muita emoção! O sofrimento é algo q não sai do meu caminho e estou sentindo muita falta da felicidade do começo.

Publicado por: Daini Silva às outubro 14, 2007 09:25 PM

me sinto as vezes muito triste, em outros alegras, sem motivos aparente..Meus relacionamentos nunca foram o tipo padrao, sempre com homens casados ou quando solteiros, complicados demais, mas eu sempre tentando "conserta-los".namorei um rapaz durante sete anos, os tres primeiros ele casado, depois separou-se e quando percebermos estavamos praticamente morando juntos..mas ele nunca me assumiu como esposa dele, sempre dizia que eramos somente namorados, me batia, me humilhava, sofri muito,e ele viva na casa de meus pais, sem despesa alguma..|Nos separamso, fui atras , me humilhei, nada, nao teve volta.estou tentando me refazer, hoje moro com um rapaz, muito legal ate, mas ainda sinto as consequencias do outo relacionamento, quero que ele fique me paparicando o tempo todo, demostrando sentimentos por mim, mas ele nao é assim, nao gosta de muito agarramento e eu sofro com isso..sem que nao estou sendo normal,qualquer coisa ja fico com raiva,preciso mudar mneu jeito, desconfio de tudo, acho que sou traida, naos ei, preciso mudar.me ajudem.

Publicado por: kelly às outubro 17, 2007 04:01 PM

Olá. Identifiquei-me com uma série de comentários que aqui estão. Também eu amo demais, amo demais alguém que me faz sentir culpada, alguém que me faz sentir mal, alguém que fez a minha auto-estima descer ao ponto de me sentir perdida. Contudo, esse alguém no inicio da relação me fez sentir a mulher mais importante do mundo, com toda a atenção que me dedicava, aos poucos foi se tornando frio e distante, ao ponto de lhe pedir um carinho, pois estava doente, e se virar para mim, com ar de ser superior e dizer-me que não gostava dessas paneleirices. Estranho como o respeito deixou de existir, estranho como um pedido de ajuda é encarado como nada. Só me pergunto o que faço ainda com ele????Não sei responder, é a tal espécie de droga...de dependência, sabemos que nos faz mal mas continuamos, insistimos e cada vez estamos mais fracas e cada vez mais dependentes. Sei que aos poucos vou conseguir...Gostaria de manter a relação, pois amo-o demais, mas tenho de mudar a minha atitude, tenho de me amar mais, de ser mais egoista, de pensar mais em mim e gostar só um pouco menos dele...talvez resulte. Contudo, não vou permitir mais humilhações. Se tiver de acabar com a relação para ser uma pessoa saudável irei fazê-lo. Força para todos e todas.

Publicado por: mar às outubro 27, 2007 09:50 PM

Eu li um relato aqui que parece ser meu eu tambem amava meu ex namorado sempre o respeitei, mas nunca fui ciumenta e nunca o prendi mas ele me trocou por outra e se casou, ja estam juntos há um ano e nunca me ligou, na verdade ele sumiu eu que fui ataz para saber o q aconteceu demorou, mas ele me disse que estva gostando de outra depois fiquei sabendo que ele ja há tinha, mas houve um mal entendido entre eles e que agora foi resolvido, muitas coisas ficaram no ar e eu ainda penso porque, sera que mereci ele nem lembra de mim, nao fui nada p/ ele.

Publicado por: Erica Ap. às novembro 13, 2007 04:50 PM

Eu li um relato aqui que parece ser meu eu tambem amava meu ex namorado sempre o respeitei, mas nunca fui ciumenta e nunca o prendi mas ele me trocou por outra e se casou, ja estam juntos há um ano e nunca me ligou, na verdade ele sumiu eu que fui ataz para saber o q aconteceu demorou, mas ele me disse que estva gostando de outra depois fiquei sabendo que ele ja há tinha, mas houve um mal entendido entre eles e que agora foi resolvido, muitas coisas ficaram no ar e eu ainda penso porque, sera que mereci ele nem lembra de mim, nao fui nada p/ ele.

Publicado por: Erica Ap. às novembro 13, 2007 04:53 PM

Nossa nem sei como começar, mas meu ex marido disse queira vir ao aniversário da minha filha e vai trazer a sua atual mulher,pra jantar conosco. Nossa nem sei se devo aceitar isso! to confusa. O meu casamento com ele foi um trauma muito grande pra mim, ele é alccolico e agora esta muito bem com a atual mulher, onde estão morando juntos. Eu vivi 16 anos com ele me maltratando e me traindo. Um dia não aguentei e pedi pra saparar. Ele se foi feliz da vida e agora esta muito bem. Eu estou desde que me separei dele, ha 3 anos sem namorado. Dessa união tive duas filhas, que estão comigo. Não sei oque fazer se aceito a companhia da mulher dele e ele no jantar de aniversário da minha filha. Iremos em um restaurante. OQUE FAÇO? tenho três dias pra pensar!!!

Publicado por: Telma às novembro 30, 2007 05:39 PM

Eu sou como muitas mulheres aqui dependente de um relacionamento destrutivo... Estou vivendo em um relacionamento assim agora com meu marido. Me sinto muito rejeitada por ele, e ele deve se sentir da mesma forma... pois chegamos a um ponto onde não consiguimos mais nos tocar. Temos uma filha juntos e eu fico com dó dela. Tento dar todo meu carinho e atencão pra ela e tento fazê-la não perceber nada.

Ele tem o dom de sempre colocar a culpa em mim pelos maus tratos e eu as vezes até acredito ser culpada... Se não é uma coisa é outra, mas segundo ele eu sempre fiz algo errado.

Agora decidí me separar e estamos procurando dois apartamentos, mas me sinto presa ao meu malfeitor. A idéia de talvez vê-lo com outra no futuro acaba comigo... ainda mais sabendo que minha filha terá contato com essa nova pessoa. As vezes fico sem ar, meu coracão bate forte e eu só tenho pensamentos destrutivos quando ele me rejeita. As vezes penso que inconcientemente gosto disso pois fui rejeitada pelos meus pais e rejeicão é algo que aprendí desde cedo.

Leio vários livros sobre auto-ajuda mas os conselhos entram por um ouvido e saem pelo outro. Eu sou uma mulher culta e inteligente, tenho formacão superior e no trabalho sou sempre muito eficiente. Por que não consigo ser tão boa na vida privada?


Publicado por: Eliane às dezembro 3, 2007 10:54 AM

eh, co-dependência em relacionamento eh mesmo um pé na cova para mtos. Cuidar, gostar mais de nos mesmas eh essencial para sairmos da fossa....

Publicado por: vanni às dezembro 3, 2007 08:31 PM

me identifiquei com todos os relatos.
Estou doente, fraca.
Só gosto de quem naum gosta de mim. Suplico amor, atençaõ. Quem se aproxima de mim se apaixona, ´depois vê como seu neurotica e me larga.
Estou me sentindo mal...triste. sem expectativas.

Publicado por: ANA às dezembro 12, 2007 02:38 AM

Culpar os muitos companheiros que passaram pela minha vida é o caminho mais curto para chegar á doença ,o caminho da recuperação diz -me que o problema está em mim e na dificuldade que tenho em me amar e respeitar . Muitos dias ainda tenho a tendencia a voltar aos velhos padrões de comportamento que me colocam lado a lado com o sofrimento e o medo.Graças a este programa e aos meus amigos vou um dia de cada vez conseguindo me abraçar,acarinhar e acreditar que mereço muito mais do que aquilo que julgo


Publicado por: Patricia às dezembro 17, 2007 03:26 PM

Identifiquei-me com vários comentários acima e acho que sou mais uma mulher para esse rol de mulheres que amam demais.
Assim como para tudo ha solucao,temos que acha a saída afim de q possamos voltar a viver livres dessa dependencia que nos sufoca e so nos faz ter uma pessima qualidade de vida.

Publicado por: Line às março 8, 2008 10:51 PM

Me apaixonei por um cara, desde o primeiro momento que o vi. Ficamos a um bom tempo já, mas ele nunca quis manter relacionamento, sempre com algum motivo para isso.
Eu me perguntava o que eu teria que mudar para conseguir ser a namorada dele. Mas ai hoje estava pensando será que eu mereço ficar lutando por um homem que me trai, que diz que não é traição pois não temos nada estável. Ele foi o primeiro e único homem da minha vida até hoje. Sempre que falo que não quero mais ficar com ele me dá uma dor, uma saudade, e acabava ficando de novo. Mas sabe, quando a gente vai dormir a noite e a pessoa que você ama não tá lá, daí me dá um vazio enorme.
Espero conseguir ficar longe dele, estou tentando muito.
Minha primeira vez foi um pouco traumática, mas eu tenho esperança que um dia as coisas vão se acertar pra mim e eu vou encontrar alguém que goste de mim e que queira viver uma história comigo.

Publicado por: Lika às março 27, 2008 02:02 AM

sinto-me triste,digo que não sei o motivo, mas no fundo até sei...quero sentir-me amada, quero fazer alguem feliz, eu até nem sou feia, mas todos os rapazes gostam de mim apenas como amiga.
Estou farta de ser amiga, quero ser mais do que uma amiga, será assim tão complicado,dizem-me que confundo tudo, que confundo amizade com amor.
Ok sempre tive complexos de inferioridade, na escola era a mais calada, era a que não fazia nada por vergonha, tive uma educação onde não me é permitido errar. não sei errar, por isso nunca arrisco, assim não corro o risco de errar, mas agora sinto-me mal. sinto-me só.

Publicado por: Anonymous às abril 13, 2008 10:02 PM

Eu não aguento mais sofrer por namorados. Eu nãoo sei o que faço de errado. Sou otimista, carinhosa, afetuosa, nada grudenta, deixo a pessoa que está ao meu lado livre e, para chegar á essa conclusão, faço e refaço meu inventário emocional. Não sei o que há de errado comigo. Sou bonita, paquerada, mas quero algo mais. E esse algo mais nunca acontece. Sempre acabo abandonada e, enquanto meus ex-namorados se divertem, eu fico aqui, sozinha, quebrando a minha cabeça para entender onde foi que errei. Estou perdendo o gosto pela vida, porque ao sair de uma, recuperar-se, para cair em outra arapuca, e não há ser humano que aguente isso. Sinto-me fora do ar. Meu ex-namorado atual é uma pessoa muito difí­cil de lidar, e, pior de tudo, eu o amo e tenho esperanças de voltar com ele, sabe. Mas ele não se move, não se mexe. Eu fiquei na minha durante muito tempo, ele estava com problemas, e eu respeitei o momento dele. Eu pedi a ele que não fechasse as portas para mim,
e ele disse que não fechava, que a gente ia conversar, com calma, devagar. Isso já dura quase um ano. E eu não aguento mais e, ao mesmo tempo, não consigo deixar de gostar dele. Estou perdida, não sei o que fazer.

Publicado por: Bia às junho 15, 2008 06:38 AM

Eu nunca me senti amada por nenhum namorado meu. No maximo, o que acontece sao breves meses juntos, para tudo ir por agua abaixo logo em seguida. Nao sou exigente, nao sou de cobrar, nem de ficar pegando no pe, e acredito que cabe a cada um num relacionamento ajudar a construir a felicidade a dois. So que chega num ponto em que eu me vejo investindo sozinha e, quando vou perguntar a eles qual e o problema comigo, o que eu posso fazer para ajudar a dar certo, eles nunca dizem. Ficam mudos, e deixam eu me consumir naquele silencio atordoante que eles se mantem. E ai, depois que eu ja me consumi bastante, eles simplesmente terminam, e desaparecem. Eu nunca mais fico sabendo deles. Sabe, muito se fala de homens e mulheres que amam demais, mas quer saber? Deviam criar uma organizacao para pessoas que amam de menos. Eu acho extremamente importante que as pessoas encarem suas imagens no espelho e enfrentem falta de amor-proprio, inseguranca, ciume mas, nao e por nada nao, eu leio alguns relatos aqui e nao vejo nada de mal em muitas dessas pessoas. Sao rotuladas como as que amam demais porem, talvez, estejam apenas se relacionando com pessoas erradas. Tem muita gente fria e insensivel por ai, e o que eu digo nao e imaturidade de quem nao quer enfrentar suas proprias questoes, mas a verdade e essa. Talvez eu ainda tenha que percorrer um longo caminho para saber realmente o que se passa comigo, mas sinceramente? Tenho conviccao, por Deus, de que a maior parte dos problemas emocionais que enfrento na minha vida nao estao comigo.

Publicado por: Marilia às junho 15, 2008 06:53 AM

Acreditem. Tudo o que eu mais quero, de coracao, e salvar meu relacionamento. Amo meu ex-namorado, mas ele me despreza, me ignora, e indiferente a mim, e eu nao consigo entender o motivo. Nunca fiz mal a ele, bem pelo contrario. Na epoca em que estavamos juntos, nunca o prendi, sempre o deixei livre, para fazer o que bem entendesse. Eu sempre o senti distante, superficial, mas tive paciencia e esperei que as coisas acontecessem naturalmente. Ao mesmo tempo, fui a melhor pessoa que pude ser, sem cobrancas. Mesmo quando eu estava mal, perdida em minhas duvidas, punha um sorriso no rosto e ia ao encontro dele. Ele tem muitos problemas, e enfrentou uma fase dificil na vida dele, e eu a todo momento estive do lado dele. Hoje estou sozinha e, por muitas vezes, tentei resgatar nosso relacionamento, entender o motivo daquele desprezo todo. Eu nao sei mais o que pensar, o que e verdade e o que e mentira, eu so sei que o amo e, com a forca da minha alma, sonho com o dia em que ele vai voltar pra mim. Recentemente andamos tendo alguns embates, sem brigas, mas conversas confusas, e eu confesso que tambem entrei um pouco em desespero, e me humilhei um pouco atras dele. Tenho esperancas de que ele me enxergue, de alguma forma, nao sei como, mas que ele possa me enxergar e querer tentar de verdade. Deus, me ajude.

Publicado por: Tatiana às junho 15, 2008 07:03 AM

Meu nome é Maria das Graças, há dez anos mantenho um relacionamento com um homem casado que diz me amar muito, não quer me perder, temos uma filha de 9 anos linda e saudável. Ele nunca disse que se separaria da mulher para ficar comigo, por´[em suas palavras com duplo sentido sempre me enchem de esperança. Vivemos um amor escondido, sofro muito com isso, gostaria de sair com ele publicamente, apresentar para meus amigos, minha família, sair com ele e minha filha livrmente. Infelismente isso não acontece, ele é casado com uma mulher que me odeia, vive ,me ameaçando de morte a mim e a minha filha, quando se sente traída tenta se matar, entra em depressão e outros cisas mais. Moor de ciumes dele, fico imaginando o que faz quando não está comigo, invejo a vida familiar dele, choro muito e fico triste à tôa. Sempre que temos algo combinado a família inventa algo e ele acaba me deixando a esperar. é um relacionamento que me tras muito sofrimento, vivo constantemente angusatiada amo demais este homem e minha vida está ficando para trás. Já tive depressão por causa dele, tive uma recaída e agora estou fazendo terapia com uma psicóloga. Não aguento mais e quero me libertar deste pesadelo que se chama amor.
Me digam o que fazer pois em minha cidade não existe grupo do MADA e eu preciso participar.

Publicado por: Graça às julho 3, 2008 11:41 AM

Há dez anos mantenho um relacionamento com um homem casado que diz me amar muito, não quer me perder, temos uma filha de 9 anos linda e saudável. Ele nunca disse que se separaria da mulher para ficar comigo, por´[em suas palavras com duplo sentido sempre me enchem de esperança. Vivemos um amor escondido, sofro muito com isso, gostaria de sair com ele publicamente, apresentar para meus amigos, minha família, sair com ele e minha filha livrmente. Infelismente isso não acontece, ele é casado com uma mulher que me odeia, vive ,me ameaçando de morte a mim e a minha filha, quando se sente traída tenta se matar, entra em depressão e outros cisas mais. Moor de ciumes dele, fico imaginando o que faz quando não está comigo, invejo a vida familiar dele, choro muito e fico triste à tôa. Sempre que temos algo combinado a família inventa algo e ele acaba me deixando a esperar. é um relacionamento que me tras muito sofrimento, vivo constantemente angusatiada amo demais este homem e minha vida está ficando para trás. Já tive depressão por causa dele, tive uma recaída e agora estou fazendo terapia com uma psicóloga. Não aguento mais e quero me libertar deste pesadelo que se chama amor.
Me digam o que fazer pois em minha cidade não existe grupo do MADA e eu preciso participar. Me ajudem.

Publicado por: Graça às julho 3, 2008 11:43 AM

gosto muito de uma pessoa que demonstra que não gosta de mim nem um pingo só o que ele sabe fazer é me desprezar.temos um bêbê de um mês e acho que ele só estar comigo por causa dessa criança,ele não me faz feliz tudo que ele sabe fazer é me despresar nada que faço pra ele estar bom ele só reclama de tudo que fçao e nã me dar um pingo de carinho além de tudo é grosseiro comigo não aguento mais isso tudo que eu queria era ser feliz nós três juntos

Publicado por: cristiane araújo lopes às julho 25, 2008 05:13 PM

meu namorado mudou o comportamento comigo, de uns dias pra ca ele não falo mais comigo no MSN, quando nós se vimos sexta (26 de setembro de 2008), ele mau falou comigo, me deichou sem fazer nada e nós dois nem ficamos, eu acho que ele não gosta mais de mim, ou ficou com outra. ~: eu não sei o q fazer mesmo... :x ele vai terminar comigo e eu vou ficar nas magoas, manha, tardes e noites depremida, sem saber se tem alguém nesse mundo que gosta de verdade de mim , sem contar o que vou sofrer, meus estudos não vão bem, agora vai piorar mais ainda.
EU PRECISO DE VOCÊ MEU AMOR ;@: só sei que sem ele nao vou conseguir rezistiir /:

Publicado por: santos às setembro 26, 2008 09:40 PM

Me identifiquei com varias mulheres aqui, li seus depoimentos e me vi neles, tenho sofrido demais, tem dias que penso que vou morrer, penso em suicidio o tempo todo, mas não tenho coragem pois tenho duas filhas maravilhosas e não tenho o direito de fazer isso com elas. Sempre tive dificuldades em relacionamentos, acho que isso veio de minha infancia, meu pai era muito repressor e nunca tive nenhum carinho, nenhum elogio, apenas críticas e surras. Tenho mania de envolver-me com homens complicados, já fui casada duas vezes, meu primeiro marido felizmente morreu um ano depois de casados (ele era dependente de drogas)depois de sua morte fiquei dois anos só, fiquei com uma filha recem nascida e passei a me dedicar somente á ela, passados os dois anos, comecei a me envolver com alguns homens, cada um pior do que o outro, até que conheci um rapaz de são paulo e me apaixonei perdidamente por ele, dos homens que já me envolvi ele era o melhor, mas para meu azar não me quis de jeito nenhum.
Demorei anos para superar, fiz de tudo para ficar com ele, me humilhei, rastejei e nada adiantou, no desepero da solidão conheci meu ex marido, um cara que não tinha nada a ver comigo. Ele havia se separado fazia pouco tempo e estava com dívidas até o pescoço (eu não sabia das dívidas)me agarrei a ele por pura solidão,parecia ser um cara maravilhosa e eu sempre me perguntava porque a mulher tinha-no deixado.Ele sempre me tratou com indiferença, mas me agarrei a ele mesmo assim,como eu tenho uma boa pensão de meu finado marido ele me engravidou e aí fui morar com ele. Juntamos eu, minha filha e a filha dele, aí começou o inferno de minha vida, ele me tratava com uma indiferença absurda, era frio, uma pedra de gelo, minha filha e a filha dele não se davam e no meio desse inferno eu estava grávida e muito sensivel.Ele não tinha dinheiro para nada, só dívidas e percebi que havia se envolvido comigo por causa de minha pensão, viviamos cheios de problemas e eu odiava a filha dele, pois era completamente ignorada por ele enquanto ele se derretia de amores por ela. Mas enfim o tempo passou, minha filha nasceu e fomos ignoradas juntas. Ficava o tempo todo tentando me separar mas tinha medo de ficar só, continuava com ele só para ter um marido, não o amava, não sentia nenhum prazer na hora do sexo (pois ele tinha ejaculação precoce e apenas subia em cima de mim e alguns segundos depois ejaculava)mas mesmo assim ficava com ele e pior, fazia o que ele queria. Mesmo tendo uma boa pensão eu trabalhava muito pois sustentava a casa sozinha, os negocios dele nunca davam certo, ele vivia só para pagar dívidas e jogar baralho. Quando havia quatro anos que estavamos juntos, ele começou a chegar em casa de madrugada, dormir fora e me ignorar completamente, peguei o celular dele e descobri o motivo, uma amante, ele havia arrumado uma amante, briguei com ele pensando que ele iria tentar se justificar, me pedir desculpas, mas ele quase me agrediu e simplesmente pegou as roupas e foi embora de casa. Quase morri por causa da rejeição, virei um trapo e implorei para ele voltar para casa, passei um ano sofrendo como louca pois ele ia e voltava de casa todos os meses, quanto mais ele me rejeitava pior eu ficava e não conseguia entender o porque dessa relação, já que nunca fui apaixonada por ele, sempre o achei feio, burro e bronco. Voltei a estudar para conhecer outras pessoas e quem sabe me tornar mais segura e conseguir me livrar dele. De três anos para cá ele havia melhorado finaceiramente e também seu tratamento comigo, mas continuava péssimo de cama, eu vivia frustada, sonhando e desejando homens o tempo todo, desejando carinho, amor, paixão, coisas que ele nunca me deu. Até que comecei a fazer faculdade e conheci um homem que me atraiu muito, mas como era casada e sempre fui fiel, pensava... O dia que me separar vou me envolver com ele. O meu casamento sempre foi totalmente instavel, meu ex saiu de casa umas 15 vezes, e isso acontecia pelos motivos mais bobos, até que em novembro de 2007 tivemos uma discursão boba e ele simplesmente pegou suas roupas e foi embora. Pensei agora vou conseguir me libertar já que tenho um novo interesse, dei bola para meu colega de faculdade que havia se separado fazia pouco tempo e ele adorou, fiz amor com ele e foi maravilhoso. Mas alguns dias depois meu ex ao ver que eu não estava dando bola para ele começou a ir atraz de mim e implorar para voltar, eu disse não ele ficou meses implorando e eu dizendo não, até que ele arrumou uma namorada, aí as coisas mudaram de figura, eu fiquei deseperada ao ver que ele não me dava mais bola e ainda tinha arrumado uma namorada jovem e bonita, corri atraz dele, implorei e ele não me quis mais,não porque eu quisesse voltar, queria apenas atrapalhar, faze-lo sofrer, continuar a relação doentia, pisar nele, vê-lo morto, destruido, sei lá, nem eu consigo entender porque eu não consigo simplesmente ignora-lo e seguir minha vida, já que não tenho nenhuma atração física por ele, não tenho afinidades com ele acho-o muito feio para mim, tinha até vergonha de apresenta-lo como meu marido. Não sei se algum aqui vai conseguir entender uma loucura dessas, nem eu entendo, mas a verdade é que sofro quando fico sabendo que ele está feliz com essa garota, fico em um estado lastimavel, entro em depressão, quase morro e já fiz de tudo para superar mais parece que a cada dia fica pior. Sou inteligente, bonita e tenho um futuro financeiro promissor, mas em questões emocionais sou totalmente insegura, vivo carente, desejando companhia e só de pensar na possibilidade de ficar sozinha entro em desespero, gostaria muito que alguem pudesse me ajudar a superar tudo isso, não desejo voltar com meu marido, não suporto a idéia de viver com ele novamente, só quero superar isso, conviver com a idéia de que ele está feliz e não me importar, ser indiferente a ele e sua vida.

Publicado por: rose às outubro 21, 2008 02:56 PM

Amar demais !! Começamos o namoro, não gostava muito dele, fui me apegando e quando vi já estava amando. Ele é ou era sei la, mas tudo que eu gostava ela fazia pra mim ele estava perfeito. Transamos no 7º mês que estava mos juntos, Nos primeiros 2 meses ele foi super ! Mas dpois começou a me deixar na mão, vi que ele já não era mais o mesmo. 1 ano e 2 meses estamos juntos e agora vem uma suspeita de gravidez. Eu estou apavorada, não queria falar nada pra ele mas não tive opcão. Falei pra ele, ele esta louco, e eu amo ele demais não cosigo imaginar minha vida sem ele. estou com medo dele me deixar, abusar da minha pelo que esta acontecendo. Ter que esquecer ele seria mudar minha identidade, perder minha personalidade, apagar a melhor parte da minha vida. Pois amo demais ele é a melhor coisa da minha vida.

2 comentários:

  1. Eu percebi que eu consegui vencer muitas coisas na minha vida.
    O meu ultimo relacionamento como sempre era destrutivo com um dependênte químico, mas graças aos grupos eu consegui me afastar dele. E eu estou bem melhor agora.
    O que eu tenho percebido, que há abstinência de relacionamentos foi muito importante para mim, para eu me conhecer melhor, e saber o que eu realmente quero para minha vida.
    Graças há um grupo de apoio que eu vou, eu consegui ter uma melhor qualidade de vida.

    ResponderExcluir
  2. A Abstinência em alguns casos é necessária,essa semana dois profissionais não confirmaram essa abstinencia para mim como sendo boa...já que tirei da minha vida toda fonte que me dava prazer, na vdd eu já tinha poucas coisas que me davam prazer...então qdo as abstinências surgiram a falta de serotonina uma substância que nos dá alegria e prazer, foi praticamente a zero...já haviam me sugerido um relacionamento temporário, pra aplacar um pouco a ansiedade sexual e emocional...enfim preferi acreditar q estava curada e me enganar um pouquinho, já q eu deveria ter entregue tudo a Jesus...mas eu sou humana, não sou perfeita...qdo explodi por dentro semana passada e quase morri, percebi q faltou-me sabedoria...sair de uma patologia como a co dependencia é mais exigente q sair do uso de um crack...mas é assim, vou recomeçar meus passinhos novamente...um dia de cada vez!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares